Se esteve trending, a MTV premeia – os vencedores dos novos MTV Movie & TV Awards

Pela primeira vez em 25 anos, o canal junta a TV ao cinema e elimina género nas categorias de actuação. Premeia memes, as séries mais faladas e continua completamente pop.

Fotogaleria
Emma Watson venceu na categoria de actuação Reuters/MARIO ANZUONI
Fotogaleria
Vin Diesel recebeu o prémio Generation MARIO ANZUONI/Reuters
Fotogaleria
Taraji P. Henson DANNY MOLOSHOK/Reuters
Fotogaleria
Hugh Jackman e Dafne Keen foram o Melhor Duo em Logan MARIO ANZUONI/Reuters
Fotogaleria
Dois dos actores de This is Us MARIO ANZUONI/Reuters
Fotogaleria
MARIO ANZUONI/Reuters
Fotogaleria
O elenco de Stranger Things MARIO ANZUONI/Reuters
Fotogaleria
O elenco de Por Treze Razões MARIO ANZUONI/Reuters
Fotogaleria
Snoop Dogg e Martha Stewart MIKE NELSON
Fotogaleria
Trevor Noah MIKE NELSON
Fotogaleria
MIKE NELSON
Fotogaleria
Ru Paul venceu pelo seu programa Drag Race MIKE NELSON
Fotogaleria
Na passadeira vermelha houve uma súbita queda de granizo PAUL BUCK

Os prémios MTV, que nas várias áreas são tidos mais como uma festa do que um reconhecimento crítico, converteram a sua cerimónia dedicada ao cinema em mais uma prova de que a TV é incontornável. E os renovados MTV Movie & TV Awards, entregues na madrugada desta segunda-feira em Los Angeles, celebraram exactamente o que esteve “trending” entre o público mais jovem na TV: Stranger Things, A Bela e o Monstro, Trevor Noah ou The Walking Dead.

Pela primeira vez nos seus 25 anos de história, os MTV Movie Awards, conhecidos pela sintomática estatueta de um balde de pipocas douradas e por patrocinar momentos como vários beijos entre estrelas ou pôr Tom Cruise a dançar, abriram a porta à incontornável televisão. À televisão onde eles próprios vivem e ao lado aglutinador de qualidade, públicos e buzz social que o meio ganhou nos últimos anos. Tido como um canal para os mais jovens, e que há muito deixou a música para os seus canais subsidiários e se dedicou aos reality shows, concursos e séries teen, premiou isso tudo. E reagiu a temas – o género, a raça – nas suas categorias.

Distinguindo apenas num par de categorias o que é TV e o que é cinema, a série do ano foi Stranger Things (contra Atlanta, A Guerra dos Tronos, Insecure, This is Us e Pequenas Mentirosas) e o melhor actor numa série (as categorias deixaram de se dividir entre actores e actrizes) foi a Eleven de Stranger Things, Millie Bobby Brown (competia com Emilia Clarke, Donald Glover, Jeffrey Dean Morgan, Mandy Moore e Gina Rodriguez). O filme do ano foi o blockbuster da Disney A Bela e o Monstro (na mesma categoria podia votar-se em Foge, Logan, Rogue One e The Edge of Seventeen) e o actor do ano num filme foi a sua protagonista Emma Watson (contra Taraji P. Henson, Hugh Jackman, James McAvoy, Hailee Steinfeld e Daniel Kaluuya).

O melhor apresentador (televisivo) foi Trevor Noah, o comediante sul-africano que substituiu Jon Stewart à frente do Daily Show e que tem construído a sua audiência até à liderança nas cobiçadas faixas mais jovens. Estavam também na corrida Samantha Bee, Ellen DeGeneres, John Oliver e RuPaul – cujo reality contest RuPaul’s Drag Race venceu na respectiva secção. Há depois categorias como “melhor duo” (o público da MTV elegeu Hugh Jackman e Dafne Keen em Logan), “melhor beijo” (Ashton Sanders e Jharrel Jerome no vencedor do Óscar de Melhor Filme deste ano, Moonlight), “melhor luta contra o sistema” (Elementos Secretos, contra Mr. Robot ou Foge), “melhor herói” (Taraji P. Henson), “melhor vilão” (Jeffrey Dean Morgan pelo seu Negan em The Walking Dead), o “tearjerker” (o prémio de puxar à lágrima com uma cena da série This is Us a vencer) e o prémio MTV Generation, para o franchise Velocidade Furiosa.

Pop mais pop não há, com sinais enviados para o futuro com o prémio Next Generation para Daniel Kaluuya do filme de terror acabado de estrear em Portugal Foge, e com categorias que não enganam quanto ao foco dos MTV Movie & TV Awards – “Trending”, ou a categoria que escolhe momentos virais criados na televisão para viver fora dela nas redes sociais. O vencedor foi a versão de Channing Tatum de Run The World (Girls), de Beyoncé, no popular programa da MTV Lip Sync Battle, contra momentos como a ida de Lady Gaga ao Carpool Karaoke de James Corden ou o sketch em que Melissa McCarthy imita o porta-voz da Casa Branca Sean Spicer no Saturday Night Live; mas também frases que se tornam memes como a de uma adolescente rebelde no programa de Dr. Phil ou a reacção de Winona Ryder nos prémios Screen Actors Guild.

Sensível à juventude, às causas e ao momento, o evento distinguiu ainda como Melhor História Americana a contada pela série Black-ish, numa categoria cheia de diversidade — Fresh Off the Boat, Jane the Virgin, Moonlight e Transparent. E fiel à sua natureza, recebeu em apoteose o elenco de 13 Reasons Why, a série que num mês se tornou num fenómeno, e aproveitou o final da cerimónia para um novo trailer do próximo blockbuster da temporada, Wonder Woman

A cerimónia foi apresentada pelo actor Adam Levine e contou com actuações de Big Sean ou Pitbull, entre outros.