Torne-se perito

Escolas preparam-se para encerrar a 12 de Maio

Vai ser mais um dia para "inventar o que fazer com os filhos", diz a Confap.

Foto
paulo pimenta

As escolas estão a preparar-se para encerrar no dia 12 de Maio, na sequência da tolerância de ponto anunciada pelo Governo por ocasião da visita do Papa Francisco, disse Filinto Lima, presidente da Associação Nacional dos Directores de Agrupamentos e Escolas Públicas (ANDAEP).

Segundo o mesmo responsável, o encerramento das escolas deve-se à tolerância de ponto para a função pública. Para os pais, este vai ser mais um dia para "inventar o que fazer com os filhos", nomeadamente os que não trabalham na Função Pública, disse à Lusa o presidente da Confederação Nacional das Associações de Pais (Confap), Jorge Ascensão. A Lusa contactou igualmente o Ministério da Educação, mas não obteve resposta.

"Num período lectivo que já é tão curto – temos só 32 dias de aulas [para os alunos do 9.º e 12.º, no terceiro período] – um dia a menos é um constrangimento, mas os professores vão ultrapassá-lo", afirma, por seu lado, Filinto Lima, que não põe em causa a tolerância concedida pelo Governo. 

Filinto Lima não pôs em causa a tolerância concedida por ocasião da visita do Papa, que estará em Fátima nas celebrações do centenário, mas aproveitou para frisar que os directores têm defendido que seria mais equilibrado o calendário escolar estar divido por semestres, em vez de seguir as festas religiosas, como o Natal e a Páscoa.

"Percebo que é um acontecimento de grande envergadura e que até obriga o nosso Governo a aplicar medidas invulgares, como o fecho das fronteiras, mas temos de pensar no que temos vindo a pedir" – a organização do calendário lectivo por semestres, destacou. 

Sugerir correcção