Especulação com acções na origem do ataque ao autocarro do Borussia Dortmund

Polícia alemã deteve um russo-alemão de 28 anos que, com um investimento de 78 mil euros, esperava lucrar 3,9 milhões.

Fotogaleria
Os estragos que as três explosões provocaram no autocarro da equipa do Borussia LUSA/STR
Fotogaleria
LUSA/STR
Fotogaleria
LUSA/STR
Fotogaleria
LUSA/SASCHA STEINBACH
Fotogaleria
Reuters/Kai Pfaffenbach
Fotogaleria
O treinador dos alemães, Thomas Tuchel Reuters/Kai Pfaffenbach
Fotogaleria
Felix Passlack acompanhado pela polícia Reuters/Kai Pfaffenbach
Fotogaleria
A equipa do Borussia rodeada pelas autoridades LUSA/STR
Fotogaleria
LUSA/STR
Fotogaleria
LUSA/FRIEDEMANN VOGEL
Fotogaleria
Reuters/Ralph Orlowski
Fotogaleria
Reuters/Ralph Orlowski
Fotogaleria
O presidente do Borussia, Reinhard Rauball, no meio do campo depois do adiamento da partida Reuters/Ralph Orlowski
Fotogaleria
LUSA/FRIEDEMANN VOGEL
Fotogaleria
A equipa do Mónaco aproveitou para treinar depois do confronto com os germânicos ter sido adiado LUSA/FRIEDEMANN VOGEL

O homem de 28 anos detido por suspeita de ser o autor do atentado contra o autocarro da equipa de futebol Borussia Dortmund pediu um empréstimo de dezenas de milhares de euros para apostar na queda das acções do clube. Segundo as autoridades, terá sido este o motivo do atentado de 11 de Abril e não qualquer tipo de terrorismo fundamentalista.

Poucos dias antes do ataque com explosivos, o suspeito, identificado como Serguei V., um russo-alemão, investiu 78 mil euros na compra de opções de venda de acções do clube a um determinado preço. Se o preço das acções caísse, venderia depois ao preço fixado, mais alto. O negócio, previa, iria render-lhe 3,9 milhões de euros.

"Uma queda significativa no preço das acções seria expectável se um jogador ficasse seriamente ferido ou mesmo se morresse no ataque", disseram os investigadores, citados pela Reuters.

No ataque, quando a equipa seguia de autocarro para um jogo contra o AS Mónaco, a contar para a Liga dos Campeões, o defesa espanhol Marc Bartra ficou com ferimentos ligeiros numa mão. O jogo, que o clube alemão perdeu por 2-3, foi adiado 24 horas.

A Comdirect, a sucursal online do banco alemão Commerzbank, alertou a polícia sobre a aquisição de Serguei V., devido a suspeitas de lavagem de dinheiro. A pista levou os investigadores para esta pista, abandonando a possibilidade de ter sido um ataque islamista ou da extrema-direita, como chegou a ser veiculado, sobretudo devido à descoberta de cartas apontando essas pistas.

A meio do mês de Março, Serguei V. terá reservado um quarto no hotel L`Arrivée, onde a equipa do Dortmund costuma ficar durante os jogos em casa. Fez também reservas para os períodos de 9 a 13 de Abril e 16 a 20 do mesmo mês, altura em que ainda era incerto se o jogo contra o Mónaco se realizaria na primeira ou segunda mão da Liga dos Campeões.

De acordo com o jornal Bild, funcionários do hotel começaram a suspeitar de Serguei V. devido à sua atitude após a explosão. Enquanto outras pessoas corriam pelo hotel em pânico, o suspeito foi comer ao restaurante do hotel.

Foi detido nesta sexta-feira na cidade de Tuebingen (sudoeste da Alamanha), e acusado de tentativa de homicício. A polícia alemã realizou buscas em quatro apartamentos que podem estar relacionados com o ataque.

Durante o check-in no hotel, e segundo as informações recolhidas pela imprensa alemã, o suspeito terá rejeitado o quarto que lhe foi oferecido porque não tinha vista para a estrada. O seu segundo quarto, no último piso, tinha vista para a zona onde ocorreram as explosões.

O Bild diz que Serguei V. venceu um prémio de engenharia em Julho de 2015 e tem grandes conhecimentos de engenharia electrónica que permitem instalar explosivos e activá-los remotamente.

P24 O seu Público em -- -- minutos

-/-

Apoiado por BMW
Mais recomendações