Galiza pretende introduzir português como língua estrangeira no ensino secundário

Alberto Nuñez Feijóo manifestou as suas intenções de introduzir o conhecimento do português no ensino secundário galego e de manter o programa de cooperação entre universidades dos dois países

LUSA/ESTELA SILVA
Foto
LUSA/ESTELA SILVA

O presidente da Junta da Galiza, Alberto Nuñez Feijóo, afirmou nesta terça-feira na cidade do Porto, as suas intenções de introduzir gradualmente o conhecimento do português como língua estrangeira no ensino secundário galego.

Após receber a Medalha Municipal de Honra da Cidade pelo seu contributo para o relacionamento entre o Norte de Portugal e a Galiza, Alberto Nuñez Feijóo recordou o Memorando de Entendimento para a Adopção do Português como Língua Estrangeira de Opção e Avaliação Curricular no Sistema Educativo Não Universitário da Comunidade Autónoma da Galiza, assinado a Fevereiro de 2015, e afirmou a sua actual intenção de ir "introduzindo paulatinamente o conhecimento do português como língua estrangeira dentro da educação secundária na Galiza".

O presidente galego destaca também a intenção de ampliar estudos bibliográficos da língua galega e portuguesa nas respectivas bibliotecas.

Na área da Educação, o presidente da Junta da Galiza assumiu que o "programa de cooperação interuniversitária deve continuar, assim como a mobilidade de estudantes e a promoção de projectos formativos comuns", acrescentou.

Há "quatro áreas importantes" para reforçar da colaboração entre galegos e o Norte de Portugal, declarou o presidente. Além da área da Educação e da Cultura, Feijóo falou também no âmbito institucional e no sector da Economia, referindo a necessidade de dinamizar os "respecivos mercados", com Jornadas de Emprego no âmbito da eurorregião e no âmbito institucional" e organizando reuniões políticas sectoriais. "Temos instrumentos muito importantes para materializar a cooperação", afirmou recordando que têm à disposição a primeira estratégia de especialização inteligente transfronteiriça da União Europeia, e que aspira a mobilizar 360 milhões de euros até 2020.

Alberto Nuñez Feijóo assume ainda a vontade de trabalhar com o Norte de Portugal para ambos se "posicionarem no mercado latino-americano". "Tanto a Galiza, como Portugal têm condições para reforçar a nossa colaboração no Brasil e nos países latino-americanos, trocando informação, fazendo missões conjuntas dos empresários, intensificando a nossa relação", concluiu.