Foram encontrados vários analgésicos opiáceos em casa de Prince

Alguns dos medicamentos eram receitados em nome de Kirk Johnson, segurança do cantor.

Foto
Reuters/MIKE BLAKE

Foram encontrados vários analgésicos opiáceos em casa de Prince depois da morte do artista no ano passado, dá conta a Reuters, citando documentos judiciais não selados e que foram revelados esta segunda-feira. Alguma da medicação foi receitada em nome de Kirk Johnson, guarda-costas do cantor.

De acordo com o referido mandado de busca das autoridades, foram encontrados vários comprimidos rotulados como Watson 853 – identificador do genérico hidrocodona-acetaminofeno – em diversas divisões da casa de Prince. Além disso, outra das buscas encontraram “numerosos comprimidos de substância narcótica controlada”, guardados em caixas, sendo que alguns eram também receitados em nome de Johnson.

A investigação incluiu buscas no computador de Prince, registos de telemóveis de amigos de Prince e interrogatórios a colaboradores. Em Outubro de 2016 os documentos especificavam que o inquérito em curso era “uma investigação de homicídio activa”. No entanto, não foram concluídas quaisquer acusações criminais.

A causa de morte oficial foi dada como overdose auto-administrada de fentanil - um potente analgésico, mais forte do que morfina, utilizado para tratar pacientes com dores agudas, habitualmente depois de intervenções cirúrgicas. No entanto, não foram encontradas receitas de fentanil.

"Muitas das áreas onde os comprimidos foram localizados seriam lugares que Prince iria frequentar, tais como o seu quarto e a sala do roupeiro/lavandaria", especifica o documento.

A documentação manteve-se selada até esta segunda-feira pois os investigadores temiam que potenciais testemunhas se tornassem incontactáveis e que potenciais provas fossem destruídas.

Os mesmos documentos revelam ainda que os investigadores tinham conhecimento, através de testemunhas, do problema de consumo excessivo de medicação prescrita ao artista norte-americano.

Por tudo isto, como lembra a CNN, ficam por responder três perguntas fundamentais para perceber as misteriosas circunstâncias que levaram à morte de Prince: quem fornecia os analgésicos que mataram o artista? Ele sabia o que estava a tomar? E há quanto tempo Prince recorria aos analgésicos opiáceos?