Noite de poesia na nova vida da Livraria Ferin

Livraria que existe desde 1840 e é a segunda mais antiga de Lisboa tem agora um bar e uma nova sala dedicada aos livros raros e antigos.

Nuno Ferreira Santos
Nuno Ferreira Santos
José Pinho
José Pinho Nuno Ferreira Santos
Nuno Ferreira Santos
Nuno Ferreira Santos
Nuno Ferreira Santos
Nuno Ferreira Santos
Nuno Ferreira Santos
Nuno Ferreira Santos
Nuno Ferreira Santos
Nuno Ferreira Santos
Nuno Ferreira Santos
Nuno Ferreira Santos
Fotogaleria

O livreiro José Pinho, dono da Ler Devagar, na Lx Factory, e organizador do Fólio-Festival Literário Internacional de Óbidos onde também tem três livrarias, andava numa azáfama. Era a noite do Dia Mundial da Poesia e a sua mais recente aquisição, a Livraria Ferin na Rua Nova do Almada, estava de portas abertas para receber a última paragem da Ronda de Leituras que aconteceu ao longo da tarde em vários locais de Lisboa.

Os actores Teresa Coutinho, Diogo Dória, José Anjos, Sofia Baptista e a cantora Ana Deus leram na cave da livraria, onde agora passou a funcionar um bar, poemas de Sophia, Camões, António Nobre, Ruy Belo, Jorge de Sena, Marquesa de Alorna, Judith Teixeira ou do poeta contemporâneo Paulo José Miranda (alguns dos quais foram seleccionados a partir de uma colectânea de autores portugueses, o nº 0 da colecção P de Poesia, que vai ser lançada no dia 28 de Março com o PÚBLICO).

A comemoração do Dia Mundial da Poesia que tinha começado às 17h, na Paralelo W, terminou na Livraria Ferin, que terça-feira à noite abriu, além do bar, uma nova sala com livros raros e antigos, também na cave e com entrada directa pela Rua do Crucifixo, onde há uma porta que até aqui só era utilizada para a entrega de livros, já que ali funcionavam os escritórios.

No espaço onde fica agora o bar que tem mesas de madeira com tampo de mármore oferecidas pelo restaurante Palmeira (que encerrou em Dezembro), há um pequeno auditório onde decorreu a sessão de poesia. Ali podem ser vistas também uma prensa e uma máquina tipográfica antigas, pertencentes à Ferin, que complementam a decoração.

José Pinho, que manteve os antigos funcionários e contratou mais três, quer utilizar o espaço para concertos e actividades regulares. A programação cultural incluirá um ciclo de conferências mensais em parceria com a editora Relógio D'Água, sobre temas da actualidade.