Francisco é o quarto Papa a visitar Fátima e protagonizará a segunda visita mais curta

A visita papal mais curta foi a de Paulo VI que, em 1967, também recusou passagem por Lisboa. Francisco pernoita em Fátima, mas regressa a Roma no dia 13, logo a seguir ao almoço.

Foto
REUTERS/Tony Gentile

Francisco é já o quarto Papa a visitar Fátima, mas a curta duração da sua passagem por Portugal só encontra paralelo no programa da visita que Paulo VI fez, em 1967, naquela que foi a primeira visita de um Papa ao santuário. O pretexto era o 50.º aniversário das Aparições. Giovanni Battista Montini acedeu ao convite, mas recusou pernoitar no país e, tal como nos próximos dias 12 e 13, a visita-relâmpago começou com a chegada à base aérea de Monte Real, ou seja, sem passar por Lisboa.

As semelhanças, porém, deverão esgotar-se aqui. Em 1967, as relações entre Portugal e o Vaticano estavam tensas (muito por causa da visita daquele pontífice à Índia, após a anexação de Goa, Damão e Diu) e o encontro de Paulo VI com Salazar e com a vidente Lúcia foi muito breve e terá ficado mesmo marcado por alguma rispidez do pontífice. Desta vez, o Papa Francisco dever-se-á encontrar a sós com o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, e os dois são conhecidos pelo calor que emanam nos contactos que mantêm.

O pontífice argentino deverá aterrar na base aérea de Monte Real, pelas 16h00 do dia 12 de Maio, onde o aguardarão outros representantes do Estado. A viagem até ao Santuário de Fátima será feita de helicóptero. Por volta das 18h00, deverá aterrar junto ao campo de futebol e os restantes três quilómetros até ao santuário deverão ser percorridos de “papamóvel”. Francisco vai directamente para a Capelinha das Aparições e, depois de rezar, deverá recolher à Casa Nossa Senhora do Carmo, onde pernoitará no mesmo onde ficaram João Paulo II (1982, 1991 e 2000) e por Bento XVI (2010). À noite, o pontífice argentino presidirá ao terço e à procissão de velas, mas não fica para a missa da noite, aparentemente porque está habituado a deitar-se cedo e a levantar-se por volta das 4h30 da manhã para rezar até às 7h00.

No dia 13, o ponto alto será a missa solene presidida pelo Papa. De seguida, Francisco almoça com os bispos portugueses e empreende a viagem de regresso a Roma, a bordo de um avião da TAP.