Os ovos de crocodilo mais antigos do mundo são da Lourinhã

Fósseis têm cerca de 150 milhões de anos.

Fotogaleria
Os fósseis dos ovos de crocodilo da Lourinhã OCTÁVIO MATEUS/LUSA
Fotogaleria
Os fósseis dos ovos de crocodilo da Lourinhã OCTÁVIO MATEUS/LUSA

A Lourinhã, conhecida pelos achados de fósseis e pegadas de dinossauros, tem os ovos de crocodilo mais antigos do mundo, com 150 milhões de anos, confirmaram paleontólogos num artigo científico publicado esta quarta-feira.

“Temos cascas e ovos completos de crocodilos mais antigos do mundo”, afirmou à agência Lusa João Russo, um dos quatro autores do estudo sobre o registo mais antigo de ovos de crocodilomorfos, um grupo primitivo de répteis, do período do Jurássico Superior, de que são descendentes os actuais crocodilos.

Os ovos descritos no estudo, que medem cerca de sete centímetros, foram encontrados em meados dos anos 90 na mesma jazida onde os investigadores do Museu da Lourinhã também descobriram um ninho de ovos de dinossauros, na praia de Paimogo.

Os ovos encontrados em cinco locais descritos no artigo, publicado na revista Plos One, foram sendo descobertos em sucessivas campanhas ao longo dos anos, a última das quais em 2012.

PÚBLICO -
Foto
Os fósseis dos ovos de crocodilo com 150 milhões de anos Octávio Mateus/Lusa

“Na investigação preliminar feita na ocasião, chegou-se à conclusão de que alguns dos ovos eram de facto diferentes dos de dinossauro encontrados e que muito provavelmente seriam de crocodilos”,  explicou o investigador.

Contudo, só com a análise laboratorial microscópica efectuada a partir de 2013 é que João Russo, Octávio Mateus, investigadores do Museu da Lourinhã e da Universidade Nova de Lisboa, Marco Marzola, da Universidade de Copenhaga (Dinamarca), e Ausenda Balbino, da Universidade de Évora, puderam confirmar as hipóteses levantadas.

“Confirmámos que a estrutura da casca do ovo era completamente diferente da dos ovos de dinossauro e muito semelhante a ovos de crocodilo tanto fósseis como actuais”, concluiu João Russo, para quem “a evolução em 150 milhões de anos [dos ovos de crocodilo] foi muito pouca e os ovos praticamente mantêm-se inalterados”.

Os fósseis de ovos de crocodilo conhecidos até agora como os mais antigos foram descobertos no Texas, Estados Unidos, e pertencem ao período do Cretácico Inferior, com 140 milhões de anos.

O achado vem enriquecer o espólio do Museu da Lourinhã, conhecida como “capital dos dinossauros” e um dos locais paleontológicos mais ricos do mundo desde a descoberta, em 1993, do ninho de ovos com os embriões de dinossauros carnívoros mais antigos até então encontrados.

PÚBLICO -
Foto
Os fósseis dos ovos de crocodilo Octávio Mateus/Lusa

“Sabíamos da existência de fósseis de dinossauro e de crocodilo, assim como de ovos de dinossauro. Mas desconhecíamos a existência de ovos de crocodilo e agora sabemo-lo. É mais um testemunho de que a Lourinhã é extremamente rica em termos de fósseis do Jurássico Superior e é uma referência a nível mundial”, sublinhou o investigador.

No estudo, os paleontólogos apontam também para semelhanças entre fósseis de ovos de crocodilomorfos com ovos de dinossauros terópodes (bípedes carnívoros), e relações reprodutivas entre as duas espécies.