Ataques do Presidente à justiça são “desanimadores”, diz nomeado de Trump para o Supremo

Neil Gorsuch terá criticado considerações de Trump sobre juiz que ordenou bloqueio temporário do decreto anti-imigração.

Foto
Neil Gorsuch foi nomeado por Donald Trump para o Supremo Tribunal dos EUA EPA/MICHAEL REYNOLDS

O juiz Neil Gorsuch, que foi nomeado por Donald Trump para o Supremo Tribunal norte-americano, terá considerado que os ataques do Presidente aos tribunais são “desanimadores” e “desmoralizadores”.

As declarações foram proferidas durante um encontro com o senador democrata pelo Connecticut Richard Blumenthal. Foi o próprio senador que o revelou aos jornalistas: “Ele disse muito especificamente que eram [as declarações de Trump] muito desmoralizadoras e desanimadoras e ele caracterizou-as muito especificamente dessa maneira”, cita a CNN. “Eu disse que eram mais do que desanimadoras e disse-lhe que ele tem uma obrigação de tornar as visões dele [de Trump] claras para o povo americano, para que eles percebam quão abomináveis e inaceitáveis são os ataques do Presidente Trump à justiça”.

Em causa estão as considerações de Trump relativas ao juiz James L. Robart, de Seattle, no estado de Washington, que ordenou o bloqueio temporário do decreto que proíbe a entrada nos EUA de pessoas oriundas de sete países de maioria muçulmana. Trump afirmou que a decisão “deste pseudo-juiz é ridícula e será anulada”. “Simplesmente não consigo acreditar que um juiz ponha o nosso país em tamanho perigo. Se alguma coisa acontecer, culpem-no e ao sistema judicial. Pessoas a entrarem de forma descontrolada.”, afirmou ainda o Presidente noutro tweet. Mas a atribuição de responsabilidades aos tribunais não se ficou por aqui, e Trump utilizou novamente o Twitter para dizer: “Dei instruções à Segurança Interna para verificarem as pessoas que estão a entrar no nosso país MUITO CUIDADOSAMENTE. Os tribunais estão a dificultar muito o trabalho!”

À CNN, Ron Bonjean, que é uma espécie de porta-voz de Gorsuch para o processo de confirmação da sua nomeação pelo Congresso, confirmou as declarações do juiz.

Nesse aspecto, é possível que Gorsuch enfrente algumas dificuldades durante as audiências no Congresso americano, esperando-se que os democratas confrontem o juiz com as recentes declarações do Presidente colando assim o nomeado para o Supremo às posições de Donald Trump.

O mesmo canal norte-americano explica que este encontro, com Blumenthal, e outro com o líder democrata no Senado, Chuck Schumer, serviram para encetar contactos sobre estas questões antes das audiências. Na conversa com Schumer, Gorsuch terá garantido, inclusivamente, que um ataque a um colega juiz é um ataque a todos, diz a CNN, citando uma fonte familiar com a discussão entre os dois.

Neste momento, o tribunal de recurso, em São Francisco, analisa a argumentação dos procuradores de Washington e do Minnesota, os dois estados que contestaram a medida do Presidente que barrou a entrada de refugiados e de cidadãos de sete países de maioria muçulmana, e dos advogados do Departamento de Justiça sobre a decisão do tribunal de Seattle. Daqui sairá a decisão sobre o futuro imediato do decreto anti-imigração de Trump. No entanto, existe ainda a possibilidade de recurso ao Supremo.