Vem aí um aparelho que promete pôr as pessoas de todo o mundo a conversar

O Pilot serve de tradutor instantâneo e será apresentado ainda este mês.

Foto
Youtube

No próximo Mobile World Congress, em Barcelona, será apresentado o aparelho que promete ser a estrela da companhia. E a novidade é que não é nem um smartphone, nem um computador revolucionário nem é criado por gigantes como o Google ou a Apple. No fundo é uma ferramenta que nos vai permitir falar com quem quer que seja independentemente da nacionalidade do nosso interlocutor.

Chamado “Pilot”, o acessório para o ouvido foi criado por uma start-up de Nova Iorque, fundada por Andrew Ochoa, e é um tradutor instantâneo, dá conta o Financial Times (FT), que diz que as vendas vão começar em Maio com um preço de venda a rondar os 299 dólares (cerca de 277 euros).

Na prática, basta colocar o aparelho no ouvido, e falando, por exemplo, com um cidadão de Itália em português, a outra pessoa, com o Pilot também colocado no ouvido, vai ouvir as palavras em italiano e vice-versa. A ferramenta pode, inclusivamente, ser utilizada num grupo de mais de duas pessoas, em que nenhuma fala a língua dos outros.

O empresário responsável pela criação conseguiu reunir 4,4 milhões de dólares (pouco mais de quatro milhões de euros) em crowdfunding, mas o aparelho ainda não está pronto para demonstração. A sua apresentação está marcada para dia 27 de Fevereiro em Barcelona.

Apesar de ser de dimensão muito reduzida, o Pilot funcionará através de ligação wireless com uma aplicação de smartphone que, por sua vez, envia a informação para o aparelho depois de realizar um processo semelhante ao utilizado nos computadores, ou seja, como diz o FT, o processo será, aparentemente, inspirado naquele utilizado noutras ferramentas de tradução, tal como o tradutor do Google.

Daqui em diante o funcionamento terá de ser aperfeiçoado, para contornar problemas de linguagem como o contexto e o real significado de expressões próprias de cada língua. Para já os primeiros modelos terão disponíveis o inglês e as línguas latinas mais comuns (incluindo o português). O mandarim, russo, árabe ou o alemão não estão para já previstos para uso na nova ferramenta.

Sugerir correcção