Que número é este? Um livro digital que ensina jornalistas a ler números

O livro é uma iniciativa da Fundação Francisco Manuel dos Santos e tem como autores Maria João Valente Rosa, Luísa Barbosa e o jornalista Ricardo Garcia. Obra digital versa no essencial sobre estatística.

<i>Que número é este?</i>  da  Fundação Francisco Manuel dos Santos já está disponível <i>online</i>
Foto
Que número é este? da Fundação Francisco Manuel dos Santos já está disponível online NFACTOS / FERNANDO VELUDO

Um livro digital que ensina a fazer perguntas aos números e destinado a jornalistas é lançado, esta quinta-feira, para que os números sejam mais do que "uma sucessão inerte de algarismos e uma potencial fonte de equívocos". Que número é este?, uma iniciativa da Fundação Francisco Manuel dos Santos (FFMS), vai ser lançado no quarto Congresso dos Jornalistas, no primeiro dia trabalhos.

O objectivo, segundo a FFMS, que lançou até hoje oito portais com dados estatísticos, é disponibilizar um manual de utilidade prática para quem lida diariamente com estatísticas. "Escrever sobre estatísticas não é escrever sobre matemática. É interrogar os números e contar histórias alicerçadas sobre a sociedade em que vivemos", diz a Fundação a propósito do livro de 180 páginas, que inclui definições de conceitos, exemplos práticos e alertas sobre situações a evitar.

O livro ensina, por exemplo, a calcular percentagens, fazer arredondamentos, utilizar a regra três simples ou construir gráficos, a definir rácios e taxas, proporções e taxas de variação, números-índices, médias e meta informação. "Lidar com estatísticas requer dos jornalistas aquilo que a própria profissão lhes exige todos os dias: que façam perguntas. Sem ser questionado, um número é apenas um número, uma sucessão inerte de algarismos", afirmam os autores do livro.

Nele diz-se que o poder mediático dos números, sejam absolutos ou relativos, é incomensurável, que são notícia quando mostram que algo mudou, quando causam surpresa, quando são inéditos.

E alerta-se: questionar um dado estatístico vai muito além de indagar se vale a pena ou não fazer dele uma notícia. Os números que chegam às redacções em comunicados de imprensa, anúncios, relatórios ou entrevistas não revelam, logo à partida, tudo o que importa saber sobre eles. As estatísticas precisam de explicação, de contexto, de vida.

A FFMS foi criada em 2009 e tem como objectivo estudar os grandes problemas nacionais e levá-los ao conhecimento da sociedade. São da fundação duas das autoras do livro, Maria João Valente Rosa e Luísa Barbosa, a quem se juntou o antigo jornalista do PÚBLICO Ricardo Garcia. Os três explicam porque é que as quebras de série impedem comparações. Ou que NUTS são mais, muito mais, do que frutos de casca rija em inglês.