DR
Foto
DR

Linhas de metro portuguesas foram “encolhidas" e ilustradas

Um designer gráfico americano simplificou mais de 200 sistemas de metro de cidades de todo o mundo. As linhas de Lisboa, do Porto e Almada-Seixal também foram contempladas

Os mapas de transportes são, muitas vezes, um quebra-cabeças que dificulta o processo de descoberta e deslocação dentro de uma cidade. Foi esta complexidade e falta de organização das linhas de metro espalhadas por todo o mundo que levou Peter Dovak a desenvolver o projecto “Mini Metros”. As linhas de Lisboa, Porto e Almada-Seixal estão entre as 220 representações de metros e sistemas ferroviários de pequenas e grandes cidades que foram “encolhidas e simplificadas” em ilustrações.

No início do projecto, o designer gráfico residente em Washington apenas pretendia representar as linhas de metro dos EUA e do Canadá. Mas, rapidamente, acabou por se interessar por sistemas de transportes de outros países. Desde mapas a ícones, de ilustrações a figuras, de vectorizações de comboios, autocarros e de outras diversas redes de transportes na América do Norte até uma aplicação sobre veículos icónicos de várias cidades, Peter Dovak desenvolveu, ao longo dos últimos três anos, uma colecção de projectos relacionados com o trânsito. Desde os mais simples até aos mais complexos, o que mais o atrai é a evolução das linhas de metro ao longo das últimas duas décadas.

As quatro linhas que constituem a rede de metropolitano de Lisboa, as seis linhas que ligam o Porto e as linhas que fazem a ligação entre Almada e Seixal (mais conhecida como a rede de metro da Margem Sul do Tejo que, entretanto, está desactualizada na ilustração), com as respectivas cores ilustrativas, foram representadas na série de sistemas de transporte que Peter Dovak desenhou.

PÚBLICO -
Foto
Peter Dovak ilustrou as linhas de Lisboa, Porto e Almada-Seixal

Hoje, nenhuma cidade está fora das suas ilustrações. Os Mini Metros são actualizados algumas vezes por ano para reflectir as mudanças verificadas nos sistemas de todo o mundo. Novas linhas de diferentes países são constantemente acrescentadas à lista que não descartou algumas cidades portuguesas. “Além destas novas aberturas, actualizei alguns mapas com base no feedback que recebi de fãs apaixonados pelo trânsito em todo o mundo e adicionei sistemas ferroviários suburbanos a algumas cidades, na medida em que a sua frequência fazia com que fossem considerados trânsito rápido. Os mapas destas cidades (como Sydney, Berlim, Frankfurt, Munique e Nuremberga) não eram representativos sem os mesmos”, explica Peter Dovak na página no projecto.

PÚBLICO -
Foto
Mini Metros inclui 220 representações de sistemas de metro de várias cidades

Estes mapas têm características em comum: todos combinam linhas de rotas paralelas, mantêm ângulos fixos em 45 graus e uma distância mínima entre as linhas. As ilustrações são, de tal forma semelhantes, que é como olhar para os sistemas de metro originais, agora mais simplificados. Além de desenhos simples a olho nu, o projecto dá ainda a possibilidade de conhecer um pouco mais sobre estes sistemas, uma vez que existe uma ligação directa para a Wikipédia em cada uma das distintas representações.