YouTube bane os “pirus” e “pepecas” de Clarice Falcão

Vídeo de Eu Escolhi Você não resistiu 24 horas no YouTube. A cantora brasileira defende as imagens como uma "celebração do corpo humano".

Fotogaleria
Imagem do vídeo realizado por Pablo Monaquezi para a canção Eu Escolhi Você
Fotogaleria
Imagem do vídeo realizado por Pablo Monaquezi para a canção Eu Escolhi Você
Fotogaleria
Imagem do vídeo realizado por Pablo Monaquezi para a canção Eu Escolhi Você
Fotogaleria
Imagem do vídeo realizado por Pablo Monaquezi para a canção Eu Escolhi Você
Fotogaleria
Imagem do vídeo realizado por Pablo Monaquezi para a canção Eu Escolhi Você Thayze Lima/Vimeo

“Pirus” e “pepecas”, ou pilinhas e pipis, a dançar numa “celebração do corpo humano”. O novo vídeo da ex-Porta dos Fundos Clarice Falcão, lançado na terça-feira e com órgãos genitais como protagonistas, não passou pelo crivo do YouTube e acabou por ser apagado da plataforma na quarta-feira por “violar as políticas do site sobre nudez ou conteúdo sexual”, apesar de serem habitualmente aceites conteúdos semelhantes se estes tiverem um objectivo “educativo, documental, científico ou artístico”. Enquanto esteve no ar, o vídeo somou cerca de 300.000 visualizações.

Entretanto, o filme voltou a estar disponível na Internet mas numa plataforma concorrente do YouTube, o Vimeo. Antes de clicar no link, recordamos que o vídeo contém nudez e que não deve ser visto por menores de 18 anos.          

A decisão do YouTube, detido pelo Google, dificilmente surpreendeu a cantora, escritora, actriz e humorista brasileira, que chegou a lançar uma sondagem no Twitter a inquirir os seus seguidores sobre quanto tempo resistiria no ar o vídeo para a canção Eu Escolhi Você, do álbum Problema Meu. No entanto, Clarice Falcão defendeu a publicação do clipe, referindo que este estava “marcado com restrição de idade” – era inacessível a menores de 18 anos – e que a “nudez não sexualizada é permitida”.

Num comunicado enviado às redacções brasileiras, Clarice Falcão admite que o vídeo iria sempre "causar algum rebuliço, mas nunca chocar".

"Estou chocada por as pessoas se terem chocado dessa forma: com o facto de outras pessoas terem genitais. Eu achava que isso já era uma informação dada", ironizou a cantora.

"É importante atentar para o facto de ter causado tanto ódio, esse é o verdadeiro factor preocupante. Não acho que seja genial, nem extremamente posicionado politicamente. O que ele trouxe à tona foi o quanto as pessoas têm muita raiva de 'piru' e de 'pepeca'", observou.

Na missiva, Clarice Falcão explicou ainda a origem da ideia para o vídeo: "Tive um sonho a respeito do clipe, que seria apenas 'pirus' e 'pepecas'". O filme foi dirigido por Pablo Monaquezi e feito "entre amigos".

Antes, através do Twitter, a cantora tinha assumido a intenção de causar controvérsia: “Se não for para causar, melhor nem lançar nada”.