Bloco é o único a recusar acompanhar Presidente da República a Cuba

Partido não revela justificação para recusar o convite de Marcelo Rebelo de Sousa.

Foto
AFP/JEWEL SAMAD

O grupo parlamentar do Bloco de Esquerda recusou integrar a comitiva que acompanhará o Presidente da República numa visita de Estado inédita a Cuba, sem adiantar o motivo, numa deslocação com representantes de todas as restantes bancadas.

Luís Montenegro (PSD), Idália Serrão (PS), Hélder Amaral (CDS), António Filipe (PCP) e José Luís Ferreira (PEV) são os deputados que vão acompanhar Marcelo Rebelo de Sousa nesta visita de Estado, que se realiza quarta e quinta-feira, segundo informação da Presidência da República divulgada esta segunda-feira.

Da lista não consta o BE e, contactada pela agência Lusa, fonte oficial bloquista confirmou que o partido foi convidado, mas que não vai a Cuba, escusando-se a fazer mais comentários ou a avançar qualquer justificação para esta decisão. Durante o processo obrigatório de autorização da Assembleia da República para esta visita, que incluiu um parecer da Comissão de Negócios Estrangeiros, o partido não exprimiu qualquer opinião contra a viagem do Chefe de Estado.

O Presidente da República realiza entre quarta e quinta-feira uma visita de Estado a Cuba, onde se reunirá com o chefe de Estado cubano, Raúl Castro. Chegou a ser anunciada a pretensão de um encontro de Marcelo Rebelo de Sousa com o Fidel Castro, mas o programa que a Presidência da República divulgou não inclui qualquer referência ao líder histórico.

Marcelo Rebelo de Sousa viaja para Havana na terça-feira em voos comerciais, com escala em Paris, e tem chegada à capital cubana prevista para as 20h25 locais (1h25 de quarta-feira na hora de Lisboa), mas o programa só começa no dia seguinte.

O chefe de Estado português foi convidado por Raúl Castro para visitar Cuba e aproveita a deslocação à Cimeira Ibero-Americana que vai decorrer entre sexta-feira e sábado, dias 28 e 29 de Outubro, em Cartagena das Índias, na Colômbia, para responder agora a esse convite.

De acordo com o programa divulgado, além da componente institucional, esta visita tem também uma vertente cultural e dá especial atenção às relações económicas, incluindo o encerramento do Fórum Empresarial Portugal-Cuba, organizado pela Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal (AICEP). Neste momento, Cuba atravessa um processo de gradual abertura económica e recentemente retomou relações diplomáticas com os Estados Unidos que, no entanto, mantêm o embargo económico e financeiro iniciado há mais de meio século.

Sugerir correcção