E se Hillary Clinton ganhar o Texas?

Vencer no poderoso estado do sul é um dado adquirido para os republicanos. Mas nem aqui pode Trump dormir descansado.

Foto
Robyn Beck / AFP

A “estrela solitária” do Texas pode ficar azul. As sondagens aproximam cada vez mais Hillary Clinton de Donald Trump e os democratas acreditam que o feito que há muito aguardam – destronar os republicanos no segundo estado mais populoso dos EUA – pode ser possível já em Novembro.

Há décadas que a vitória do candidato republicano no Texas é um dado adquirido. Na verdade, em eleições presidenciais, a última vez que um democrata venceu neste estado foi em 1976, quando Jimmy Carter levou a melhor sobre Gerald Ford – e acabaria por chegar à Casa Branca. Mais do que um estado “vermelho”, o Texas é há 30 anos um estado fiel a uma família. Entre 1980 e 2004 ganhou sempre um Bush, George e George W., com a excepção de 1996, quando o estado deu vitória ao também republicano Bob Dole.

Esta semana, duas sondagens colocaram os dois candidatos à Casa Branca numa situação de empate técnico – em que a vantagem é inferior à margem de erro. Num inquérito publicado pelo Washington Post, Clinton está a apenas dois pontos percentuais de Trump. A isto soma-se o apoio manifestado pelo jornal Dallas Morning News, que rompeu uma tradição de mais de 70 anos de apadrinhamento a candidatos republicanos.

Os estrategas do Partido Democrata olham para o Texas como um fruto a colher no longo prazo, apostados no crescimento demográfico da população negra, hispânica e asiática. A própria campanha de Clinton não tem dado grande atenção ao Texas, com a candidata a preferir passar mais tempo noutros estados do Sul, como o Arizona ou a Georgia, lembra o Guardian.