Homem julgado por violar e matar a sogra

Arguido confessou os crimes, alegando que estava bêbedo.

Crime aconteceu na Madeira contra idosa de 88 anos
Foto
Crime aconteceu na Madeira contra idosa de 88 anos PAULO PIMENTA

Um homem de 54 anos começou, nesta terça-feira, a ser julgado no tribunal do Funchal pelos crimes de violação agravada e homicídio por negligência, sendo a vítima a sogra, uma idosa de 88 anos.

O arguido, viúvo e com historial de alcoolismo, confessou os crimes. “Aconteceu. Naquele dia estava bêbedo e a pessoa quando bebe não sabe o que faz. Quando não bebo, sou uma pessoa boa”, afirmou ao colectivo, confirmando que a vítima “não queria” ter relações sexuais. O homem admitiu que uma semana antes já tinha tentado ter relações com a idosa, mas não conseguiu “porque apareceu um vizinho”.

O arguido mencionou ter usado de “força e violência” para perpetuar o crime e confessou que a obrigou a deitar-se na cama, sublinhando que “não sabia que ela estava morta” quando deixou o local, pois “pensava que estava a dormir”.

Os factos reportam a Janeiro deste ano, na freguesia de São Jorge, no concelho de Santana, na zona norte da ilha da Madeira, tendo a Polícia Judiciária anunciado a 2 de Fevereiro a detenção do homem, que ficou a aguardar julgamento em prisão preventiva.

A acusação lida pela presidente do colectivo de juízes, Teresa Meneses, refere que o agricultor entrou na casa da vítima, “despiu-a à força e contra sua vontade”. A mulher debateu-se e gritou, pelo que o arguido a agrediu com “murros, chapadas e a mordeu por diversas vezes”, acrescenta.

O Ministério Público também descreve que o suspeito tapou a boca e o nariz da sogra com a mão, para impedir a mulher de gritar, acabando por provocar-lhe a morte por “asfixia mecânica”, já que a impediu de respirar.