Seis pessoas ficaram feridas nos incêndios do distrito de Santarém

Arderam duas casas e foi evacuada uma aldeia, devido aos incêndios que deflagraram em Abrantes e no Sardoal, na terça-feira.

Sobre o dispositivo especial de combate a incêndios, a Liga diz que os bombeiros poderão não ter condições
Foto
Sobre o dispositivo especial de combate a incêndios, a Liga diz que os bombeiros poderão não ter condições Nelson Garrido

Quatro bombeiros e dois civis ficaram feridos sem gravidade durante os incêndios que lavram nos concelhos de Abrantes e do Sardoal, no distrito de Santarém, adiantou à agência Lusa fonte da Autoridade Nacional da Protecção Civil. O comandante Jorge Costa, do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Santarém, adiantou que dois dos bombeiros chegaram a ser transportados para uma unidade de saúde, não inspirando contudo cuidados. Os restantes feridos foram assistidos no local.

Jorge Costa disse ainda à Lusa que, durante a madrugada, já sem habitações em perigo, os meios se concentraram na área florestal. Às 11horas desta quarta-feira combatiam o incêndio de Abrantes 614 operacionais com 197 veículos e 6 meios aéreos.

Também contactado pela Lusa, o comandante dos Bombeiros Voluntários de Abrantes, António Manuel de Jesus, afirmou que, debelada uma das frentes do fogo durante o início da madrugada, se mantêm três frentes activas, com menor intensidade, tendo a situação "melhorado bastante" nas últimas horas.

Durante a noite arderam duas habitações, uma em Carvalhal, no concelho de Abrantes, e outra em São Simão, no concelho de Sardoal, aldeia que foi evacuada, tendo os cerca de 50 habitantes pernoitado no quartel dos bombeiros, disse o presidente do município, Miguel Borges.

"A Câmara de Sardoal decidiu evacuar toda a aldeia cerca das 20h, com o apoio dos serviços sociais da autarquia e da protecção civil municipal, por uma questão de precaução. A aldeia esteve completamente cercada pelas chamas e o que é certo é que ardeu tudo à volta de São Simão", disse Miguel Borges.

Além destas habitações, o fogo, que se iniciou às 15h51 de terça-feira na freguesia de Fontes, no concelho de Abrantes, alastrando depois ao concelho vizinho do Sardoal, destruiu alguns barracões e arrumos.

Além da ocorrência no concelho de Abrantes, a única considerada importante no site da Autoridade Nacional de Protecção Civil (ANPC), surgem ainda registadas outras 23 ocorrências sendo que seis ainda se encontram em curso, duas em fase de resolução e 15 em fase de conclusão. No total estão a combater as chamas 976 operacionais com por 300 viaturas e nove meios aéreos.