Meo também vai entrar no capital da Sport TV

Empresa da Altice vai alinhar com a Nos e a Vodafone no capital da empresa de conteúdos desportivos, onde também está a Olivedesportos.

A PT Portugal é presidida por Paulo Neves
Foto
Presidente da PT Portugal diz que acordo visa assegurar acesso do Meo a conteúdos desportivos em "condições não discriminatórias" Nuno Ferreira Santos

Depois da entrada da Vodafone no capital da Sport TV, anunciada na semana passada, também a Meo (PT Portugal) se perfila para entrar no capital da empresa de conteúdos desportivos, onde é igualmente accionista a Olivedesportos, do empresário Joaquim Oliveira.

De acordo com um comunicado divulgado nesta quinta-feira pela empresa controlada pela Altice, já foi assinado “um acordo de entendimento tendo como objectivo a entrada no capital social da Sport TV”. A nota não menciona qualquer percentagem de capital, mas atendendo a que, com a entrada da Vodafone, o capital da Sport TV ficou distribuído de forma idêntica pelos três parceiros – com posições de 33,33% cada um – é expectável que o mesmo aconteça com a entrada da PT. A confirmar-se o negócio, cada um dos accionistas deverá ficar com 25% da empresa.

A PT explica que a conclusão do acordo, “que se rege por princípios de paridade, não-discriminação e transparência, está sujeita a um processo de auditoria contabilística e legal (due diligence) à Sport TV”. Não são apontadas quaisquer datas ou montantes envolvidos no negócio.

“O acordo que hoje anunciamos beneficia, acima de tudo, os nossos clientes e o mercado português, e visa garantir o acesso da Meo aos conteúdos desportivos considerados essenciais em condições de mercado equitativas e não discriminatórias”. Para além da Liga Portuguesa de Futebol e da Taça de Portugal, a Sport TV transmite várias ligas europeias, entre as quais a inglesa e a espanhola.

Parecem definitivamente apaziguados os ânimos na guerra dos conteúdos desportivos entre operadores, em que a Nos deu o pontapé de saída quando, no final do ano passado, comprou os direitos de transmissão dos jogos do Benfica em casa, por 400 milhões, alegando estar a reagir a tentativas da Altice de conseguir contratos exclusivos com os clubes.

O anúncio da Meo chega poucos dias depois de esta ter chegado a acordo com os restantes operadores, assinando o memorando de entendimento que já vinculava a Nos, a Vodafone e a Cabovisão, em que as empresas se comprometiam a assegurar a disponibilização recíproca dos direitos de transmissão de eventos e canais desportivos, bem como a repartição dos custos associados a estes conteúdos. Só assim a Meo conseguiu assegurar a transmissão dos jogos do Benfica já nesta época desportiva que começa no próximo domingo.

Além dos jogos do Porto (com início a partir de 2018, por 458 milhões de euros), a Meo assegurou os direitos televisivos das partidas do Vitória de Guimarães e Boavista. Já a Nos, que além do Benfica assinou com o Sporting (a partir de 2018, por 446 milhões de euros), também chegou a acordo com o Belenenses, Paços de Ferreira, Sporting de Braga e Vitória de Setúbal.

Em 2012 já tinha havido uma tentativa de criar uma estrutura accionista tripartida na Sport TV, repartindo o capital da empresa entre Joaquim Oliveira, a Nos e a PT. Porém, esta operação foi chumbada pela Autoridade da Concorrência, que considerou que era “susceptível de criar entraves significativos à concorrência", tanto no mercado de direitos de transmissão televisiva, como no mercado de canais de acesso condicionado de desporto.