A temporada de Óscares começa no Canadá: novos Sete Magníficos e Snowden em Toronto

Setembro é cada vez mais a data não-oficial do início da corrida aos prémios do cinema. Festival de Toronto já antecipou 12 Anos Escravo ou Quem Quer Ser Bilionário e agora traz Oliver Stone, Ozon e os novos de Denis Villeneuve ou Damien Chazelle.

Fotogaleria
La La Land
Fotogaleria
Queen of Katwe
Fotogaleria
Paterson
Fotogaleria
The Birth of a Nation
Fotogaleria
Snowden
Fotogaleria
Os Sete Magníficos

Nos últimos anos parece não ser possível falar do Festival Internacional de Cinema de Toronto sem mencionar os Óscares – Setembro, no Canadá, parece ser a abertura não-oficial da temporada e este ano o alinhamento do festival não foge à recente regra. Os novos filmes de Oliver Stone, François Ozon, Jonathan Demme, Denis Villeneuve ou Mira Nair juntam-se à estreia mundial do remake de Os Sete Magníficos, com Denzel Washington.

O filme, que só se estreia em Portugal a 22 de Setembro, terá a sua première mundial em Toronto no dia 8 do mesmo mês, com Antoine Fuqua a juntar Washington, Chris Pratt, Ethan Hawke, Vincent D’Onofrio, Byung-Hun Lee, Manuel Garcia-Rulfo, Martin Sensmeier, Haley Bennett e  Peter Sarsgaard no novo olhar sobre o clássico western de John Sturges - que, por seu turno, já é um remake de Os Sete Samurais de Akira Kurosawa.

Toronto já antecipou 12 Anos Escravo ou Quem Quer Ser Bilionário e é a primeira paragem numa temporada de prémios do cinema americano que parece cada vez mais longa e mais intensa. O Festival de Toronto, que entra no seu 41.º ano e que decorre ao longo de três dias, é um dos mais competitivos palcos na América do Norte logo a seguir ao prestígio de Cannes, em Maio, e ao iminente élan de Veneza (cujo alinhamento será conhecido quinta-feira e que decorre de 31 de Agosto a 10 de Setembro) e Locarno (que começa já dia 3 de Agosto).

O filme de encerramento é The Edge of Seventeen, de Kelly Fremon Craig, outra estreia mundial que se junta às 17 galas de première globais ou americanas de Toronto – muitos filmes politizados, como LBJ de Rob Reiner, sobre o Presidente Lindon B. Johnson, o Snowden de Stone com Joseph Gordon-Levitt, um par de filmes sobre música em JT + The Tennessee Kids, ou Justin Timberlake visto por Jonathan Demme, e The Rolling Stones Olé Olé Olé! : A Trip Across Latin America, de Paul Dugdale, e alguns esperançosos candidatos às benesses da crítica e ao olhar da Academia como Lion, de Garth Davis e com Dev Patel em busca dos pais através do Google Earth. Há ainda quem venha prestar provas, como Damien Chazelle e o segundo filme após o candidato aos Óscares Whiplash: La La Land, o musical com Emma Stone e Ryan Gosling. E quem traga as escalas ou os temas dos blockbusters para o Canadá, como a Arrival, de Denis Villeneuve – vindo de Sicario e que será o próximo a pegar no mundo Blade Runner - sobre uma invasão alienígena, ou o disaster movie Deepwater Horizon, de Peter Berg.

Mira Nair leva Queen of Katwe para mostrar pela primeira vez ao mundo Lupita Nyong’o e David Oyelowo numa história sobre… xadrez, e regressam a solo da América do Norte títulos que fizeram barulho em Sundance, como Loving, de Jeff Nichols, sobre um casamento interracial, ou o muito esperado e politicamente carregado The Birth of a Nation, sobre uma revolta de escravos no século XIX na Virgínia – o filme é realizado, escrito e protagonizado por Nate Parker e teve o prémio do júri e do público no festival que decorre em Park City. Também dos bons auspícios de Sundance chega o drama familiar de Manchester by the Sea, de Kenneth Lonergan.

Amostras do que haverá mais em Toronto: Michael Fassbender regressa com Trespass Against Us, a primeira longa cinematográfica de Adam Smith, sobre a relação de um jovem e a sua família criminosa; Vikram Ghandi fez Barry, sobre o jovem Obama com Jason Mitchell no papel do futuro presidente enquanto universitário; François Ozon exibe o seu romance em Frantz; Tom Ford, o designer de moda que se tornou um realizador respeitado com Um Homem Simples em 2009, regressa ao cinema com Nocturnal Animals e uma vida de mulher que começa a parecer o romance escrito pelo ex-marido, protagonizado por Jake Gyllenhaal e Amy Adams; a Amazon vai mostrar Paterson, de Jim Jarmusch com Adam Driver, e o thriller erótico The Handmaiden/Mademoiselle, de Park Chan-wook, ambos vindos de Cannes; lá estará também Mia Hansen-Løve com o filme premiado em Berlim O que está por vir.

Para já, a organização revelou 68 títulos para um festival que tanto é uma montra de títulos comerciais, a fazer jus ao seu mercado de direitos de exibição e distribuição que mantém a funcionar em paralelo, quanto de algumas peças autorais. Mais filmes serão adicionados ao programa.