Supremo diz que eleições presidenciais em São Tomé vão ter segunda volta

Pinto da Costa e Evaristo Carvalho disputam eleições a 7 de Agosto.

Apoiantes de Evaristo Carvalho enquanto festejavam resultados da primeira volta
Foto
Apoiantes de Evaristo Carvalho enquanto festejavam resultados da primeira volta Samir Tounsi / AFP

O Supremo Tribunal de São Tomé e Príncipe declarou que vai ser necessário recorrer a uma segunda volta para apurar o vencedor das eleições presidenciais. Manuel Pinto da Costa e Evaristo Carvalho vão a votos a 7 de Agosto.

Os resultados provisórios das eleições do último domingo davam a vitória a Evaristo Carvalho, ex-presidente do Parlamento apoiado pelo actual primeiro-ministro, com 50,1% dos votos, seguido por Pinto da Costa, Presidente cessante, com 24,8%.

Porém, o tribunal rejeitou o resultado, com a justificação de que a Comissão Eleitoral Nacional (CEN) deveria ter aguardado os resultados de uma cidade, Maria Luísa, que só votou na quarta-feira, e dos círculos do exterior.

Quando os votos que faltavam foram contabilizados, Evaristo Carvalho ficou abaixo dos 50% que lhe dariam a vitória à primeira volta.

“Que vergonha”, foi esta a mensagem deixada por várias pessoas no site do jornal Telanon.info, a principal fonte de informação no país, quando foi conhecida a anulação da vitória de Evaristo Carvalho. Pediram também a demissão do presidente da CEN, diz a AFP.

É a primeira vez que esta situação acontece em 25 anos de democracia em São Tomé e Príncipe, um país com apenas 200 mil habitantes. A antiga colónia portuguesa tem um sistema semi-presidencial em que o primeiro-ministro é o chefe de Governo, mas o Presidente tem um poder executivo considerável, sobretudo em matéria de segurança.