Procuram-se start ups inovadoras na área da energia

O EDP Open Innovation anda à procura de projectos inovadores no sector energético. O vencedor vai receber 50.000 euros e vai marcar presença no Web Summit, em Lisboa.

A taxa de empreendedorismo entre as mulheres é mais baixa
Foto
A taxa de empreendedorismo entre as mulheres é mais baixa Enric Vives-Rubio

Já arrancou a primeira fase do EDP Open Innovation, uma competição internacional que desafia empreendedores de todo o mundo a desenvolver um projecto de negócio na área da energia, anunciou a empresa nesta segunda-feira, em comunicado.

A energia como factor de desenvolvimento sustentável é o mote do EDP Open Innovation, que nasce da fusão entre o Prémio EDP Inovação e o Energia de Portugal, e está aberto a candidatos de qualquer parte do mundo, que tenham um projecto com foco na energia.

Até 31 de Agosto vão poder ser submetidas propostas que se enquadrem nas 12 categorias a concurso, como eficiência energética, mobilidade eléctrica, tecnologias da informação ou produção de electricidade offshore. Depois de uma análise por um júri internacional, as 15 melhores ideias vão passar a uma 2ª fase que decorre em Outubro na Fábrica de Startups em Lisboa. Nesta fase, os projectos das equipas participantes vão ser testados num programa de aceleração para aferir a “solidez” da ideia. Em quatro bootcamps, as equipas vão ter de simular a aplicabilidade do seu produto ou ideia no mundo real.

A fase de investment pitch vai desafiar as start ups a tentarem “vender o seu produto”. As três finalistas vão poder expor o projecto no stand da EDP no Web Summit, que vai decorrer em Lisboa, de 8 a 10 de Novembro. O vencedor vai receber um prémio monetário no valor de 50.000 euros. 

No mesmo comunicado, a EDP assume o objectivo de investir cerca de 200 milhões de euros em investigação e desenvolvimento até 2020, "repartido por várias iniciativas".

Contactada pelo PÚBLICO, a empresa diz ponderar incluir algumas das ideias a concurso no programa EDP Starter, o “ecossistema de apoio às start ups, desde a fase da ideia até à fase de investimento”. “Neste programa alocamos recursos internos específicos para este fim: advisers, interim managers (gestores EDP que trabalham 20% do tempo com as start ups), experts tecnológicos, etc”, e também “um montante de investimento para capital semente” de 100 mil euros por ano, explicou fonte oficial da eléctrica. Neste momento, a EDP presta apoio a 16 start ups

Texto editado por Ana Rute Silva