"Ex-vice" da Câmara de Vizela admite avançar como independente ou pelo PS

Vítor Hugo Salgado tem o apoio dos pesos-pesados do PS local. Em Barcelos, concelhia socialista acusa actual presidente de preparar candidatura pelo PSD.

Foto
Vítor Hugo Salgado chama a atenção para a perda de peso eleitoral do PS em Vizela nos últimos anos DR

O ex-vice-presidente da Câmara de Vizela, o socialista Vítor Hugo Salgado, pode avançar com uma candidatura independente às próximas eleições locais. Vítor Hugo Salgado perdeu a disputa interna para candidato às autárquicas do próximo ano, na semana passada, mas espera que os órgãos distritais e nacionais possam ainda criar condições para que seja ele o escolhido para liderar a lista do partido. Se isso não acontecer, avançará sozinho, contando com o apoio das principais figuras socialista no concelho.

Vítor Hugo Salgado concorreu contra o actual presidente da câmara, Dinis Costa, numa assembleia extraordinária da comissão política concelhia do PS, na quarta-feira da semana passada, convocada para escolher o candidato do partido à presidência da câmara nas próximas eleições. Costa acabou por vencer a disputa, por quatro votos de diferença (18-14), e afastou no dia seguinte o seu opositor do cargo de vice-presidente da câmara, alegando “quebra de confiança política”.

O ex-número dois da autarquia vizelense acredita, no entanto, que o processo para a escolha do candidato do PS às próximas eleições não está fechado, já que os órgãos distritais e nacionais dos socialistas têm ainda que se pronunciar sobre a solução encontrada. “Os dirigentes do PS sabem o que se está a passar em Vizela”, acredita Salgado, esperando que em alguma dessas instâncias possam ainda ser criadas as condições para que seja ele o candidato do partido às autárquicas.

Depois do afastamento da câmara, Vítor Hugo Salgado diz ter sentido “força” por parte dos vizelenses para avançar para uma candidatura: “Tenho condições para ser candidato, seja pelo PS ou como independente”. Para isso, conta com o apoio de alguns dos pesos-pesados do partido a nível local. Na conferência de imprensa que realizou nesta terça-feira não esteve presente apenas a comunicação social. O auditório da Casa do Povo de Vizela encheu-se com mais de uma centena de pessoas. Atrás de Vítor Hugo Salgado estavam, por exemplo, o anterior presidente da câmara, Francisco Ferreira, o actual presidente da Assembleia Municipal, Fernando Carvalho, e os presidentes de junta de Santa Eulália e da União de Freguesias de S. Miguel e S. João.

Mesmo sem pelouros, Vítor Hugo Salgado vai manter-se como vereador na Câmara de Vizela e considera que o presidente, Dinis Costa, “tem condições” para levar o seu mandato até final, ainda que, em resultado do seu afastamento, o PS tenha passado a ter apenas três vereadores, tantos quantos o PSD. Salgado ficará assim com o poder de desempatar votações nas reuniões do executivo, mas garante que não assumirá “uma posição de oposição”.

No entanto, o ex-vice-presidente da Câmara de Vizela entende que Costa “não tem condições para voltar a ganhar” a câmara e que o seu ciclo político “chegou ao fim”. Salgado diz que o presidente da autarquia “não tem o apoio dos verdadeiros socialistas vizelenses”, nem da maioria do partido, lembrando também a perda de votação que o PS sofreu naquele concelho nos últimos dez anos, passando de um resultado de 62% para os 48% das últimas autárquicas.

Vizela não é a única concelhia da Federação de Braga do PS dividida por uma disputa interna provocada pelas autárquicas. Em Barcelos, o líder da estrutura local dos socialistas, Domingos Pereira, veio esta terça-feira a público afirmar que “não ficaria surpreendido” se o actual presidente de câmara, Miguel Costa Gomes, eleito duas vezes pelo partido, fosse candidato às eleições do próximo ano pelo PSD. No final da semana passada, Costa Gomes retirou os poderes na vereação a Pereira. Em solidariedade, outros três eleitos socialistas, Alexandre Maciel, Elisa Braga e Carlos Brito, renunciaram aos seus pelouros.