Especulação não vale: foi mesmo a surdez que tramou Brian Johnson, dos AC/DC

O vocalista explicou em comunicado que, perante os fãs, não podia comprometer a sua performance e que, continuando os concertos, arriscava realmente surdez total. Entretanto, continua a discussão em volta do seu substituto, Axl Rose, que se estreará em Lisboa, a 7 de Maio.

Brian Johnson com os AC/DC nos Grammys de 2015
Foto
Brian Johnson com os AC/DC nos Grammys de 2015 Kevork Djansezian/Getty Images/AFP

Desde que se tornou conhecida a impossibilidade de os AC/DC contarem em palco com o seu vocalista de há 36 anos, Brian Johnson, que a banda australiana e os seus fãs têm vivido dias complexos. Primeiro o choque com a saída inesperada, provocada pelo risco de surdez de Johnson, depois a especulação sobre se a banda acabaria, se haveria um substituto e, caso houvesse, quem seria ele. Pelo meio, e ainda antes de Axl Rose ter sido anunciado surpreendentemente como substituto temporário (estrear-se-á em Lisboa, no Passeio Marítimo de Algés, a 7 de Maio), chegou mesmo a ser noticiado que Brian Johnson fora empurrado para fora da banda pelos seus companheiros.

Esta terça-feira, o vocalista acabou com os rumores. Em comunicado, confirmou que a saída se deveu mesmo a um ultimato médico. Ou parava de tocar em grandes arenas ou arriscava surdez total. “Estava a ter dificuldades em ouvir as guitarras em palco e, como não conseguia ouvir os outros músicos nitidamente, receei que a qualidade da minha actuação pudesse ser comprometida”, escreveu no comunicado. “Os nossos fãs merecem que a minha performance seja do mais alto nível e, se por qualquer razão não conseguir atingi-lo, não vou desapontar os meus fãs e os outros membros dos AC/DC”.

Confessando que atravessa aquele que é, “emocionalmente”, o “pior momento” da sua vida, Brian Johnson agradece aos companheiros de banda por todo o apoio e termina com uma garantia: “Não me estou a reformar. Os médicos disseram-me que posso continuar a gravar em estúdio e pretendo continuar a fazê-lo. De momento, todo o meu foco está em prosseguir o tratamento médico para melhorar a minha audição”.

Entretanto, continua aberta (e acesa) a discussão sobre o anunciado substituto de Brian Johnson, Axl Rose, vocalista dos Guns N’Roses. Vários espectadores manifestam-se nas redes sociais, criticando a escolha dos AC/DC e anunciando a intenção de vender os bilhetes. Outros defendem que os AC/DC não deixam de o ser por um dos elementos não estar presente. Entretanto, a própria DECO dá conta de ter recebido pedidos de análise da possibilidade de devolução do dinheiro investido nos bilhetes.

Álvaro Covões, da Everything is New, a promotora do concerto, afirma que decorrem neste momento contactos com os representantes dos AC/DC e que há que aguardar até que sejam conhecidas quaisquer novidades relativamente ao assunto. “Nós não podemos tomar decisões unilateralmente”. Dado tratar-se de uma digressão europeia, a que se reunirão as datas remarcadas da digressão norte-americana interrompida quando da saída de Johnson, “faça-se o que se fizer, tem que ser uma decisão internacional conjunta”, explica.