Polícia faz buscas na Mossack Fonseca

Autoridades do Panamá procuraram documentação para ver se firma de advogados está a ser usada para fins ilícitos.

A polícia à porta da Mossack Fonseca
Foto
A polícia à porta da Mossack Fonseca Carlos Jasso/Reuters

Uma semana e meia depois de a imprensa ter começado a revelar notícias com base em documentos da firma de advogados Mossack Fonseca, as autoridades do Panamá realizaram na terça-feira à noite buscas à empresa que está no centro dos Panama Papers.

A polícia disse em comunicado que as buscas serviram para procurar documentação que possa provar “o uso da firma para actividades ilícitas”.

As autoridades estabeleceram um perímetro de segurança em redor do edifício ocupado pela Mossack Fonseca e o procurador Javier Caraballo, especializado em crime organizado e lavagem de dinheiro, liderou as buscas.

A Mossack Fonseca, um escritório de advogados especializado na criação de empresa offshore, não comentou estas buscas, mas promete reagir em comunicado.

Assim que o escândalo rebentou, um dos fundadores da Mossak Fonseca negou qualquer irregularidade. “Não espero que isto leve a um único caso na justiça”, afirmou Ramon Fonseca.

As informações dos Panama Papers recolocaram os offshores no centro do debate e estiveram já na origem da demissão do primeiro-ministro da Islândia e uma forte pressão política sobre o primeiro-ministro britânico, David Cameron, cujo pai teve empresas offshore.