Jan Fabre demite-se por causa de programação "antigrega"

Artista belga dirigia o Festival de Atenas e Epidauro. Tinha sido nomeado em Fevereiro pelo Governo de Tsipras.

Foto
Jan Fabre durante a apresentação da programação AFP/LOUISA GOULIAMAKI

O artista Jan Fabre, que acaba de ser nomeado director artístico do Festival Internacional de Atenas e de Epidauro, anunciou no sábado a sua demissão, depois de ter sido acusado de uma programação pouco “grega”. “Demito-me […] do posto de director artístico do festival grego”, disse o coreógrafo, encenador e artista plástico numa carta tornada pública pelo ministro grego da Cultura, Aristides Balta.

“Aceitei a proposta do ministro da Cultura de fazer escolhas artísticas em total liberdade. Isso já não parece possível na Grécia. Não quero trabalhar num ambiente artístico hostil, ao qual cheguei com o coração e o espírito abertos”, escreve Jan Fabre, antes de desejar “boa sorte” aos artistas gregos que vão pegar na chama.

Em Fevereiro, o artista foi nomeado por quatro anos pelo Governo de Alexis Tsipras (esquerda), em substituição do antigo director Georges Loukos, nomeado em 2006 por um governo conservador, acusado de perdas de 2,7 milhões de euros suportadas pelo Estado grego.

Jan Fabre tinha apresentado na terça-feira os pontos fortes da programação deste ano, em que é dado destaque aos artistas belgas. A programação provocou uma enorme oposição na Grécia, entre artistas, imprensa e partidos da oposição.

O ministro grego da Cultura não escondeu a sua amargura no comunicado de sábado, lembrando que Fabre aceitou ajudar uma Grécia em crise, diminuindo os seus honorários para se ocupar do festival e apresentando produções da sua companhia por 20 mil euros anuais.

Baltas diz que Fabre foi vítima “de um ataque coordenado dos partidos políticos, dos media e de uma parte do mundo artístico”, este últimos “qualificando de anti-grego um programa estruturado para quatro anos, que pretende não só alargar o carácter internacional do festival mas também internacionalizar as criações gregas”.

"Declararam persona non grata um criador internacional aclamado e desdenharam totalmente o seu trabalho artístico, humilhando em todos os sentidos a liberdade artística”, continua o ministro, antes de prometer medidas “tendo em vista o melhor funcionamento possível” do festival este ano, apesar das circunstâncias.

O Festival Internacional de Atenas e de Epidauro terá lugar entre Junho e Agosto, principalmente no teatro clássico de Epidauro.