Vice-presidente do Brasil cancela viagem a Lisboa

Michel Temer e Paulo Skaf estavam na lista de participantes de um encontro luso-brasileiro de Direito, em Lisboa.

O partido de Temer pode sair da coligação que sustenta o governo
Foto
O partido de Temer pode sair da coligação que sustenta o Governo Nuno Ferreira Santos

O vice-presidente do Brasil, Michel Temer, cancelou esta quinta-feira de manhã a sua viagem a Lisboa, na próxima semana, para participar num seminário luso-brasileiro de Direito.

O cancelamento aconteceu um dia depois de o PÚBLICO ter noticiado que o seminário iria reunir em Lisboa vários líderes da oposição brasileira num momento decisivo para a sobrevivência do Governo de Dilma Rousseff, que enfrenta um processo de impeachment (destituição) no Congresso. “A gente não está divulgando o motivo [do cancelamento]”, disse ao PÚBLICO o assessor de imprensa de Michel Temer.

Outro nome na lista de participantes, Paulo Skaf, também do PMDB, empresário e presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (FIESP), também não estará presente. Este adversário do Governo cancelou a deslocação a Lisboa devido à reunião da direcção do partido, disse uma assessora da FIESP.

As datas do seminário coincidem com a reunião, na próxima terça-feira, da direcção nacional do Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB), partido do qual Temer é presidente, que decidirá se vai continuar na coligação do Governo, dirigido pelo Partido dos Trabalhadores (PT) de Rousseff, ou se vai abandoná-la. Essa decisão é crucial para Dilma Rousseff porque, se o PMDB optar pela ruptura, muito dificilmente a Presidente brasileira conseguirá os votos necessários no Congresso para travar o processo de destituição.

A presença de Temer em Lisboa, juntamente com líderes políticos da oposição que vêm defendendo a destituição, fez soar o alarme no Brasil por parecer o prenúncio de um pacto para um governo pós-destituição. Entre os convidados contam-se os senadores Aécio Neves e José Serra, do Partido da Social Democracia Brasileira, economistas e ex-candidatos presidenciais. Outro orador de peso: Gilmar Mendes, o juiz do Supremo Tribunal Federal brasileiro que na semana passada suspendeu a posse de Lula da Silva como ministro do Governo, tido como uma figura próxima do PSDB. O seminário é co-organizado pelo Instituto de Direito Braziliense (IDP), uma faculdade de Direito de Brasília, e a Universidade de Lisboa.