Petição com 15 mil assinantes pela inclusão de menus vegetarianos nas cantinas

Depois do PAN, a Associação Vegetariana Portuguesa pediu a inclusão de menus vegetarianos com uma petição entregue esta segunda-feira na Assembleia da República.

Foto de arquivo
Foto
Foto de arquivo

São já 15 mil as pessoas que assinaram a petição da Associação Vegetariana Portuguesa (AVP) que defende a inclusão obrigatória de uma opção de menu vegetariano em todas as escolas, universidades e hospitais portugueses. A petição, apresentada esta segunda-feira na Assembleia da República (AR), pede uma “resposta a uma necessidade que o país precisa de acompanhar”, pode ler-se no comunicado avançado pelo Partido Pessoas-Animais-Natureza (PAN).

A iniciativa representa “a vontade de muitos portugueses” que, por opção ou necessidade, devido a aspectos éticos, ecológicos ou de saúde, adoptaram regimes alimentares diferentes da norma, como a alimentação ovo-lacto-vegetariana ou estritamente vegetal.

Nuno Alvim, vegano e membro da AVP, foi o precursor desta iniciativa que surgiu em Fevereiro de 2015. Depois de falar com algumas pessoas e pela sua experiência pessoal, sentiu necessidade de mobilizar a população e sensibilizar a “casa da democracia portuguesa” para uma necessidade que afecta muitos cidadãos.

No final de Janeiro e tal como a AVP, o Partido Pessoas-Animais-Natureza já tinha apresentado um projecto de lei ao Parlamento, em que também defendia a inclusão de um menu vegetariano em todas as cantinas públicas. O número de pessoas a seguir esta dieta tem vindo a aumentar de ano para ano e, segundo a AVP, em 2007 existiam cerca de 30 mil vegetarianos em Portugal.

A medida, além da função pedagógica, inclui preocupações com o ambiente e a saúde, impedindo também a discriminação das pessoas que seguem esta dieta alimentar e que “dificilmente conseguem fazer uma refeição fora das suas casas”, acrescenta.

Até à data, já foram recolhidas 15 mil assinaturas das quais 12 mil foram validadas na AR.

Apesar destes pedidos pela inclusão de menus vegetarianas, já há escolas em Portugal que mostram alternativas alimentares. O Colégio Adventista de Oliveira do Douro, em Gaia, é exemplo disso, onde só se serve comida vegetariana desde que abriu, há 42 anos.   

Texto editado por Andrea Cunha Freitas