Albert Gea/Reuters
Foto
Albert Gea/Reuters

Book in Loop ajuda famílias a poupar nos manuais escolares

Em média pode poupar-se por filho até 170 euros. Se tiverem três filhos, pode poupar-se cerca de 500 euros por ano

Quem tenho um filho pode poupar até 170 euros. Quem tiver três, a poupança pode atingir os 500 euros. A Book in Loop é uma plataforma online cujo objectivo é ajudar as famílias portuguesas a reduzir os custos dos manuais escolares bem como combater o desperdício com o qual estamos familiarizados — comprar livros, pô-los na prateleira e deixá-los ganhar pó — e será lançada em Junho.

O Ministério da Educação confirmou no dia 9 de Março a distribuição gratuita de manuais escolares para os alunos do 1.º ano de escolaridade a partir do próximo ano lectivo, na sequência de uma proposta de alteração ao Orçamento do Estado (OE) do PCP. Mas estes três jovens querem ir mais longe.

João Bernardo Parreira (18 anos) e Manuel Tovar (21), os criadores da plataforma, participaram em 2014 na start-up Weekend, arrecadando o 2º lugar. José Pedro Moura, um dos oradores do evento, interessou-se pelo projecto, disponibilizou-se para ajudar e, depois de sair da empresa onde trabalhava na altura, tornou-se o terceiro sócio.

PÚBLICO -
Foto
João Bernardo Parreira, Manuel Tovar e José Pedro Moura

João conta ao P3 que, apesar de a plataforma só começar a funcionar para compra e venda em Junho, pode já a partir de hoje, simular-se a poupança que se irá ter e inscrever-se no site: simular, inscrever, seleccionar os livros escolares que se precisa e a instituição de ensino na qual se estuda.

Porquê inscrever-se já, se o ano lectivo só começa em Setembro? Porque quanto mais cedo te inscreveres, maior a garantia de que recebes os teus manuais a tempo. Existe todo um processo de prioridade por isso é importante que a inscrição na plataforma seja feita o quanto antes. 

A dinâmica da plataforma é um processo simples tanto para quem vende como para quem compra, conta João. Como compradores, adquirimos os manuais a 40% do preço dos novos. Como vendedores, recebemos até 20% do PVP original do livro que é distribuido por todas as famílias que deram o manual com o mesmo ISBN.

"Temos 100 livros de história com o mesmo ISBN. Sempre que esses livros forem vendidos, as famílias que os tiverem dado, receberão dinheiro, mesmo que não seja o que livro que deu que tenha sido vendido" explica João. Revela que "em media pode poupar-se por filho até 170 euros. Se tiverem mais de um, por exemplo três filhos, pode poupar-se cerca de 500 euros por ano que equivale a um ordenado mínimo".

Os manuais são submetidos a um processo de garantia de qualidade para se ter a certeza de que estão em bom estado para o futuro uso. Aliado ao negócio, vêm sempre possíveis entraves. A mudança de manuais de ano para ano é uma delas mas João diz-nos que não há com que se preocupar: "A lei determina que os manuais têm de ter a duração de seis anos nas instituições. E nós sabemos os manuais que estão disponíveis em todo o país por isso não há problema".

Esta iniciativa de economia partilhada terá impactos benéficos para as carteiras portuguesas que têm filhos a estudar sendo que se propõe a reduzir até 80‰ das despesas em manuais. Para além desta vertente económica que é mais notada, também se debruça sobre a índole ecológica e ambiental.

"Queremos focarmo-nos neste projecto e que daqui a três meses (lançamento da plataforma), as famílias consigam poupar e ganhar com isto." conta o jovem empreendedor. 

A iniciativa conta com o investimento da Business Angels, do Instituto Pedro Nunes e da Universidade de Aveiro.