Irmã do blogger saudita Raif Badawi presa

Samar Badawi, activista dos direitos das mulheres, é casada com um advogado defensor dos direitos humanos que também cumpre pena.

Fotografia publicada pela organização do prémio International Women of Courage
Foto
Fotografia publicada pela organização do prémio International Women of Courage

Samar Badawi, uma conhecida activista dos direitos humanos e das mulheres da Arábia Saudita, foi detida na terça-feira e levada, depois de interrogada, para a mesma prisão onde está o irmão, o blogger Raif Badawi.

Numa série de tweets, a mulher de Raif Badawi, Ensaf Haidar, diz que Samar foi interrogada durante algumas horas e, depois, levada para a prisão central de Dharhan. A Amnistia Internacional e a Fundação Raif Badawi Foundation (uma organização do Canadá, país onde vivem a mulher e os filhos do blogger) dizem que é provável que Samar tenha sido detida na terça-feira depois de ter feito, via Twitter, um apelo à libertação do seu próprio marido, que também está preso.

Trata-se do conceituado advogado e defensor dos direitos humanos Waleed Abu al-Khair, que defendeu Raif Badawi e foi condenado a 15 anos de prisão. Raif Badawi foi condenado a dez anos de prisão e a mil chicotadas em praça pública, tendo levado 50.

Junto ao apelo à libertação do marido, Samar publicou uma fotografia de Al-Khaair preso. Samar Badawi recebeu, em 2012, o prémio International Women of Courage pelo seu trabalho na promoção da igualdade para as mulheres na Arábia Saudita.

Num comunicado, a Amnistia Internacional considerou que a prisão de Samar é "o mais recente exemplo do desdém da Arábia Saudita pelos direitos humanos e é mais uma prova de que as autoridades pretendem suprimir qualquer sinal de dissidência pacífica".

Raif Badawi foi preso em 2012 e sentenciado em 2014 por insultar o islão e criticar o regime no seu blogue. No final do ano passado o Parlamento Europeu atribuiu-lhe o Prémio Sakharov, que distingue pessoas que lutam pela liberdade de pensamento.