Adeus AXA, olá Montepio: a cultura continua na Avenida dos Aliados

Actividades culturais que, até agora, se desenvolviam no AXA vão atravessar a rua e instalar-se no edifício devoluto do Montepio.

Os sete pisos do edifício Axa vão ter diversas ocupações artísticas ao longo de 2014
Foto
Os sete pisos do edifício Axa vão ter diversas ocupações artísticas ao longo de 2014 Paulo Pimenta

A Câmara do Porto quer despedir-se em grande do edifício AXA, na Avenida dos Aliados, que, durante 32 meses, esteve ocupado por diversas actividades (e entidades) artísticas. O arranque da festa foi marcado para as 16h do dia 28 de Novembro, mas esta deve prolongar-se por 12 horas consecutivas, estendendo-se pela madrugada do dia 29. No mesmo fim-de-semana em que diz adeus ao AXA, assinalando a devolução oficial aos seus proprietários, a autarquia apresenta o novo edifício, também na avenida, que irá acolher o tipo de actividades que ocupou o AXA. É no antigo prédio do Montepio, do outro lado da rua. No último fim-de-semana de Novembro ele apresenta-se ao público com a realização do Up Street Porto.

Em comunicado, a Câmara do Porto classifica a ocupação do AXA como “um sucesso”, argumentando que, rapidamente, o edifício “se afirmou como uma das principais âncoras de animação dos Aliados, emergindo como um espaço privilegiado de acolhimento de eventos e de produção artística e criativa, com a capacidade de contaminar toda a Baixa portuense”. Contas feitas, passaram pelos sete pisos do AXA 300 eventos gratuitos, que convocaram “perto de meio milhão de visitantes”, muitos dos quais desenvolvidos pelas associações e companhias que ali se instalaram em residências artísticas, como o Balleteatro (que entretanto se transferiu para o Coliseu), a Porta-Jazz, a ACE – Escola de Artes, o NEC (Núcleo de Experimentação Coreográfica) ou a Shortcutz.

A festa programada pela autarquia prevê música, performances e instalações, em todos os pisos do AXA e também nas suas varandas e na fachada do edifício que será, eventualmente, transformado num hotel. O programa começa às 16h, com a performance Partitura Dourada, interpretada por 139 alunos, que vai ocupar toda a fachada.

E, enquanto os portuenses se despedem do AXA, a empresa municipal Porto Lazer, responsável pela dinamização deste espaço, apresenta à cidade o “substituto” do edifício. É só atravessar a rua e dirigir-se à antiga dependência do Montepio, que inaugura a sua nova faceta com a realização de mais uma edição do Up Street Porto – Mercado de Arte Urbana. De portas abertas entre as 16h e a meia-noite de sábado, dia 28 de Novembro, e entre as 16h e as 23h, no domingo, dia 29, o Montepio vai ter obras de vários artistas de rua, um showcase da colecção Idiot Mag 2015 e vários workshops, em que os interessados se podem inscrever através do email [email protected].

Segundo fonte da autarquia, a ocupação do Montepio será feita “por tempo indeterminado” e não inclui todo o edifício. “É um espaço diferente, que se enquadra nas necessidades que, nesta altura, a Porto Lazer tem de manter a presença na Baixa e que terá uma programação muito dedicada à arte urbana”, disse Nuno Santos, adjunto do presidente da câmara, Rui Moreira.

O antigo edifício do Montepio foi a primeira sede do projecto de dinamização cultural 1.ª Avenida, que acabaria por transitar para o AXA numa fase posterior e dando assim início ao conjunto de actividades que se mantiveram até Outubro deste ano. Apesar de o protocolo entre a câmara e a seguradora AXA prever a ocupação do edifício, pelo menos até ao final de Dezembro, o fim das actividades foi antecipado, depois dos proprietários decidirem colocar o prédio à venda.

As entidades que estavam instaladas no AXA vão agora passar para o Montepio, sem prazo, para já, de saída. “Quando nos puserem fora, ficaremos contentes, porque é sinal que terá sido encontrado um uso para mais um edifício que estava devoluto”, diz Nuno Santos. 

Sugerir correcção