Turismo do Porto e Norte anuncia criação da Agência de Promoção Externa

Entidade integra novo organismo, apesar de já existir uma associação para o efeito.

A nova agência vai ter acções de promoção do destino Porto e Norte já em 2016
Foto
A nova agência vai ter acções de promoção do destino Porto e Norte já em 2016 Hugo Delgado/Arquivo

A Entidade de Turismo do Porto e Norte de Portugal, responsável pela promoção da região na Península Ibérica anunciou esta quinta-feira a criação da Agência de Promoção Externa que, entre outros, visa consolidar a região como um "destino turístico ímpar" no plano internacional. Antes de surgir, esta entidade já foi alvo de críticas, com a Câmara do Porto a considerar que ela se sobrepõe à actividade da já existente Associação de Turismo do Porto (ATP).

“A partir de hoje, os municípios e todos os operadores públicos e privados têm uma entidade que defenderá os seus produtos turísticos no contexto internacional, o que até agora não acontecia", refere o presidente da Turismo Porto e Norte de Portugal (TPNP), um dos parceiros da nova agência na Assembleia Geral, em comunicado enviado à Lusa.

Para Melchior Moreira, com a criação da Agência de Promoção Externa foi "dado um passo importante no trabalho de promoção do território Porto e Norte de Portugal", assinalando as "potencialidades desta região" e o "empenho de todos os parceiros" em consolidar a região "como destino turístico".

Recentemente, a Entidade de Turismo do Porto e Norte anunciou que iria abandonar a ATP e integrar a nova Agência de Promoção Externa. Esta conta com 30 membros fundadores, oriundos de várias áreas de actividade do sector privado e público. "O plano estratégico encontra-se já em desenvolvimento" com 2016 a marcar "o arranque, no terreno, das acções de promoção", explica Melchior Moreira.

Na semana passada, na reunião do executivo, O presidente da Câmara do Porto, que preside à ATP, admitiu que está a considerar pedir ao organismo dirigido por Melchior Moreira que retire o nome da cidade da sua designação por discordar da forma como a entidade promove a região e da criação desta nova agência, mesmo admitindo que a sua acção possa ser complementar à da ATP.

O problema, vincou, é a estratégia utilizada pela TPN. “Não queremos vender o Porto pelo fumeiro e o galo de Barcelos. Esta é uma política que entendemos que possa ser muito interessante para alguns municípios, mas não para o Porto. E a entidade também não reconhece a capacidade de o Porto ser uma âncora da região”, disse. Para Rui Moreira, o TPN “promove o Portugal bucólico” e isso não é o que a cidade quer. “Não reconheço que essa estratégia seja interessante para o Porto”, acrescentou, numa tomada de posição que mereceu duras críticas de autarcas da região.

Com sede no Castelo de Santiago da Barra, em Viana do Castelo, a agência tem como objectivos "a promoção dos produtos turísticos regionais e dos vários subdestinos do Porto e Norte de Portugal; a captação de turistas e visitantes nos mercados externos e a planificação e a execução de estratégias de marketing para a promoção como destino turístico".

A nova entidade destina-se ainda à organização de feiras, exposições e congressos, à colaboração e apoio ao desenvolvimento de estudos, recolha de documentação e de informação e investigação relativamente aos produtos turísticos do Porto e Norte de Portugal.

"Os números têm-nos revelado que estamos no caminho certo e que podemos e devemos ser mais ambiciosos e partir à conquista de novos mercados", destaca Melchior Moreira. "A aspiração não é de agora, mas concretiza-se no momento certo", afirma, num comunicado em que deixa sem resposta as críticas do autarca do Porto.