Antes dos Muse, a tarde foi dos Young Fathers no NOS Alive

Primeiro dia, com lotação esgotada, arrancou com um grande concerto dos escoceses.

Fotogaleria
Os Young Fathers marcaram o início do festival no Palco Heineken MIGUEL MANSO
Fotogaleria
O recinto do festival, em Algés MIGUEL MANSO
Fotogaleria
O Passeio Marítimo de Algés é no habitual ponto de encontro entre públicos das mais variadas origens geográficas MIGUEL MANSO
Fotogaleria
O público acorreu em massa neste primeiro dia de NOS Alive MIGUEL MANSO
Fotogaleria
O festival decorre até sábado MIGUEL MANSO
Fotogaleria
Os 55 mil bilhetes para a jornada inaugural do NOS Alive estão esgotados há muito MIGUEL MANSO

Ainda nem sequer tinham começado a formar-se as filas para o jantar do primeiro dia do NOS Alive e já a edição de 2015 se podia gabar de contar com o seu primeiro grande concerto. Fazendo do Palco Heineken um ajuntamento em torno de uma música tomada pelo transe enquanto convoca o hip-hop, o gospel e até mesmo a música vocal sul-africana, os escoceses (!) Young Fathers facilmente montaram uma actuação que parecia encenar na perfeição o que seria a função religiosa de uma igreja norte-americana num subterrâneo qualquer avistado no futuro.

Canções densas, magnéticas e nascidas de uma energia primitiva e selvática, relegando para segundo plano, sem grande esforço, as prestações inofensivas de Wombats e James Bay, primeiros frequentadores na noite desta quinta-feira do palco principal.

Com os 55 mil bilhetes para a jornada inaugural do NOS Alive esgotados há muito, com boa parte da culpa atribuível à presença dos Muse, em apresentação do novo álbum Drones, o fim de tarde no Passeio Marítimo de Algés transformara-se já no habitual ponto de encontro entre públicos das mais variadas origens geográficas. 

O primeiro revés, no entanto, seria anunciado pouco antes do arranque do festival, fruto do cancelamento da cantora inglesa Jessie Ware, prontamente substituída pelos portugueses Capitão Fausto, que às 20h conquistavam o numeroso público do festival que parecia deparar-se pela primeira vez com estes iluminados representantes do rock psicadélico nacional. Com o habitual frémito, foram discorrendo os temas do seu segundo álbum, Pesar o Sol, como se fossem convidados de sempre e não de última hora.

Jessie Ware justificaria em mensagem difundida em comunicado pela Everything Is New que "por razões de agenda" não conseguiria chegar a tempo do concerto.

Além dos Muse, a noite de quinta-feira tem ainda para oferecer concertos de Ben Harper, Alt-J, Django Django e Metronomy, entre outros. O NOS Alive decorre até sábado, com Prodigy, James Blake, Batida e Mumford & Sons enquanto principais chamarizes de sexta-feira.