Fotogaleria
Carina Guilherme
Fotogaleria
Carina Guilherme
Fotogaleria
Carina Guilherme

Politécnico do Porto abre escola de turismo em hotel cinco estrelas

Primeiro hotel-escola do país fica em Baião e quer formar gestores hoteleiros em contexto laboral. Projecto é fruto de parceria entre o IPP e o grupo privado JASE. Cursos começam no Outono

A primeira pedra do primeiro hotel-escola português foi colocada no Verão de 2013 e, no próximo dia 17 de Junho, será oficialmente inaugurada a mais recente unidade hoteleira de Baião. O Douro Royal Valley Hotel & Spa – Porto School Hotel está localizado em Ribadouro, junto à maior albufeira do rio Douro, e o seu modelo de operação — hotel e escola residencial em partes iguais — é inédito em Portugal. Os três novos cursos leccionados pelo Politécnico do Porto, o maior do país, começam no início do próximo ano lectivo.

“International Hospitality Management”, “Culinary and Innovation Management” e “Wine and Beverage Service Management”, todos eles com a duração de dois anos, são os cursos de hotelaria a que os estudantes se podem candidatar, nomeadamente os alunos do IPP das já existentes licenciaturas na área do turismo — Gestão e Administração Hoteleira, no ESEIG, e Gestão de Actividades Turísticas, no ISCAP.

Em conversa com o P3, Luís Correia, professor do ESEIG e responsável pela formação académica no novo hotel, explica que, devido aos “elevados custos exigidos pelas infraestruturas” deste tipo, “há poucos exemplos no mundo” e menos ainda com a particularidade do Douro Royal Valley. O primeiro cinco estrelas do concelho, um projecto do arquitecto Rui Castro, alia “ao padrão de excelência de um hotel de cinco estrelas, uma escola residente que trabalha com hóspedes a sério”. A ideia é que os habitantes do campus duriense estudem, treinem e durmam “em contexto real, com uma formação real”, chegando ao mercado de trabalho com “um superior desenvolvimento de competências” graças ao “contacto directo com hóspedes” e à aprendizagem da “rotina do profissional da hotelaria”.

PÚBLICO -
Foto
João Pacheco

Este é o segundo hotel da JASE, depois de há oito anos a empresa ter aberto o Douro Palace, também em Baião. Joaquim Ribeiro, sócio do grupo e vice-presidente da Associação da Hotelaria Restauração e Similares de Portugal, conta que desta vez queriam “apostar num segmento diferente”. “A dúvida era fazer um hotel cinco estrelas na região do Douro e conseguir vencer o desafio da sazonalidade”, ainda para mais “neste contexto de retracção financeira”. A solução foi associarem-se ao Politécnico do Porto, atenuando a época baixa com a presença de quase cem alunos, entre Outubro e Maio.

PÚBLICO -
Foto
João Pacheco

Ao todo, o primeiro hotel-escola português, no lugar da Pala, a cerca de 12 quilómetros da vila de Baião (distrito do Porto), tem 69 quartos para o público e 35 duplos para os estudantes de turismo e hotelaria, além de duas piscinas, um "court" de ténis e um centro de "spa", num investimento total que ronda os 15 milhões de euros. Em paralelo, está a ser construída nas imediações uma nova marina para uso não exclusivo do hotel.