Miguel Manso
Foto
Miguel Manso

O Tomi do Rossio é o “rei” das selfies nas ruas de Lisboa

Plataformas digitais que têm informações úteis para quem visita a capital atingiram o pico de procura em Abril, com 1,2 milhões de interacções

Primeiro conquistou as estações do metro de Lisboa, depois as ruas. O Tomi, uma plataforma digital interactiva que disponibiliza informações úteis aos visitantes das cidades, atingiu em Abril o pico em termos de procura: nesse mês, os tablets gigantes instalados na capital registaram 1,2 milhões de interacções, metade delas para tirar fotografias.

Segundo dados fornecidos pelas empresas responsáveis – a operadora de publicidade Multimedia Outdoors Portugal (MOP) e a TomiWorld, empresa de Viseu que desenvolveu a tecnologia – a plataforma que atraiu mais pessoas foi a do Largo Camões, no Chiado, com 147 mil interacções (número de toques em cada acção dos módulos existentes, como notícias, agenda ou transportes) em Abril.

A opção mais procurada é a que permite tirar fotografias (selfies) e depois enviá-las para o e-mail do utilizador: 582 mil interacções no mês passado, na totalidade dos equipamentos. O Tomi do Rossio é o “selfie master” das plataformas instaladas na rua, com 2520 fotografias enviadas por e-mail. Já nas estações de metro, o que tira mais fotografias é o da Baixa-Chiado, com 1584 só em Abril.

A secção de eventos foi a segunda mais procurada (quase 285 mil interacções), seguida das de pesquisa (131 mil), transportes (122 mil) e notícias (85 mil). Nos dispositivos, os utilizadores encontram gratuitamente notícias locais, a agenda cultural da cidade, informações sobre pontos de interesse próximos como parques, monumentos, restaurantes ou lojas, e podem pesquisar tudo sobre a rede de transportes públicos.

A análise da utilização diária permite concluir que os Tomis instalados na rua são mais procurados à noite, sobretudo por jovens, e que os dispositivos existentes nas estações do metro são mais utilizados nas horas de ponta (ao início do dia e ao fim do horário de trabalho), correspondendo a um público mais adulto.

Os primeiros Tomis de Lisboa foram instalados em Novembro nas principais estações de metro e um mês depois já estavam na rua, com o apoio da Câmara de Lisboa e da Empresa de Gestão de Equipamentos e Animação Cultural (EGEAC). A rede actual tem 39 equipamentos, contando com o que chega agora ao Saldanha. Os próximos serão instalados nos Restauradores e nas Amoreiras.

"Os lisboetas parecem reconhecer o Tomi na rua como um bem comum e a prova disso é, não só o numero de interações geradas, mas também o respeito que tem havido pelos suportes e o reconhecimento público e popular", escrevem as empresas num comunicado.

Segundo a TomiWorld, a rentabilidade dos Tomis é assegurada pela publicidade, em vídeo, presente nos equipamentos. A empresa apostou também num jogo publicitário interactivo, designado "Toca-me se puderes", que põe à prova os reflexos e a rapidez dos utilizadores. Entre Março e Abril, este jogo gerou mais de 30 mil interacções.

Além da capital, existem já alguns dispositivos instalados no Norte do país e no Algarve.