Prova de Matemática não foi assim tão fácil, alertam professores

Exame do 4.º ano realizou-se nesta quarta-feira. APM e SPM voltam a não estar de acordo

Foto
No exame havia muitas questões que exigem vários cálculos ou vários raciocínios complexos Nélson Garrido (arquivo)

A presidente da Associação de Professores de Matemática (APM), Lurdes Figueiral, considera que "a prova não é tão fácil quanto poderá ter parecido aos alunos".

"É ainda uma primeira impressão, não fizemos uma análise aprofundada e não conhecemos os critérios de correcção, que ainda não foram publicados, mas existe um número significativo de questões que exigem vários cálculos ou vários raciocínios complexos", realçou.

Esta mesma dificuldade foi assinalada por uma das professoras do 4.º ano da escola que Nuno Crato visitou nesta quarta-feira. Segundo Julieta Costa, existiam duas destas "situações problemáticas" no caderno dois de exercícios da prova.

Frisando, mais uma vez, que a APM não concorda com a realização de exames, Lurdes Figueiral lamentou o "excessivo peso do cálculo", presente no programa, nas metas curriculares e também nas provas. Teme, para além disso, que nalguns casos "a forma como as perguntas estão formuladas tenha dificultado a interpretação por parte das crianças e, consequentemente, a resolução dos problemas".

A Sociedade Portuguesa de Matemática (SPM) considera, pelo seu lado, que tanto o tipo de exercícios, como o grau de dificuldade da prova são “muito semelhantes” aos da prova realizada no ano passado, não prevendo por isso oscilações significativa nos resultados. Em 2014 a média na prova final de Matemática foi de 56,1%.

Segundo Fernando Costa, da SPM, só numa questão houve “uma diferença maior” em relação à prova de 2014. Trata-se de uma pergunta que visava aferir o conhecimento dos alunos sobre o algoritmo da divisão e onde se pedia que dividissem um número de quatro algarismos. “A prova está bem construída e permite que os melhores alunos se distingam por ter algumas perguntas com um grau de complexidade mais elevada, mas o grosso das questões e dos cálculos pedidos são muito semelhantes aos do ano passado”, insistiu.

A prova foi realizada por 95998 alunos. Tinham-se inscrito 96442, mais cerca de 600 por comparação aos inscritos na prova final de Português, realizada na segunda-feira.