Miguel Amado convidado para curador do Middlesbrough Institute of Modern Art

O curador português vai trabalhar directamente com o director, Alistair Husdon.

Foto
Miguel Amado dr

O crítico e comissário de exposições de arte Miguel Amado vai assumir na segunda-feira o lugar de curador sénior do Middlesbrough Institute of Modern Art, um dos principais museus do Reino Unido.

Desde 2011 integrava o departamento de curadoria da Tate Gallery, também no Reino Unido, como comissário de exposições e coleção da Tate St. Ives, um dos quatro museus daquela instituição cultural britânica.

Contactado pela agência Lusa sobre este convite do Middlesbrough Institute of Modern Art, situado no norte de Inglaterra, Miguel Amado, 41 anos, "avaliou que irá começar um novo momento" na carreira.

"Saí de St. Ives em 2012 para fazer o Pavilhão da Bienal de Veneza", após um convite para comissariar a representação de Portugal, cujo projeto era da artista Joana Vasconcelos, intitulado "Trafaria Praia".

Nascido em Coimbra, em 1973, e licenciado em Sociologia, obteve o mestrado em curadoria de arte contemporânea no Royal College of Art, em Londres.

Nos últimos dois anos foi comissário independente, radicado em Barcelona, criando projetos para Espanha e Portugal, nomeadamente exposições da Colecção Norlinda e José Lima na Oliva Creative Factory, em S. João da Madeira.

Esta colecção, com mais de mil obras de 250 artistas, vai ser alvo de uma exposição que inaugura no sábado, comissariada por Miguel Amado.

Sobre o novo cargo no Middlesbrough Institute of Modern Art, o curador português vai trabalhar directamente com o director, Alistair Husdon, "no desenvolvimento de uma visão inovadora da instituição de arte: o museu útil".

"Com o director e uma equipa, vamos desenvolver a conceptualização e supervisão de um programa integrado de exposições, encomendas a artistas, eventos - como simpósios com vertente académica, ciclos de vídeo, performances -, publicações e outros projectos", precisou.

Em Nova Iorque, realizou uma residência curatorial no Abrons Arts Center, colaborando com instituições como o Rhizome no New Museum, a Art in General e revista Artforum.

Recentemente, venceu o "Unsolicited Proposal Program Winner" do centro de arte nova-iorquino Apex Art, um dos principais concursos internacionais para comissários, com uma proposta para a realização de uma exposição colectiva.

Miguel Amado é comissário da Fundação PLMJ (criada pela sociedade de advogados A.M. Pereira, Sáragga Leal, Oliveira Martins, Júdice e Associados), em Lisboa, e colaborou recentemente com o Museu Colecção Berardo, o Centro de Artes Visuais de Coimbra e com o Museu da Cidade de Lisboa.

Sugerir correcção