Madeira insiste em melhorar relações com República e quer reuniões semestrais

Miguel Albuquerque diz que se poderá chamar a estas reuniões “cimeiras”, mas “com consequências objectivas e resoluções concretas”. Questões como a dívida ou os transportes serão temas abordados nesses futuros encontros.

Miguel Albuquerque e Passos Coelho
Foto
Miguel Albuquerque e Passos Coelho Miguel Manso

O primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, aceitou o convite feito pelo novo presidente da Região Autónoma da Madeira, Miguel Albuquerque, para realizar a primeira visita oficial à Madeira. Na reunião que teve nesta quarta-feira com Passos Coelho foi ainda estabelecido que haverá reuniões regulares entres os dois governos. Albuquerque defende que devem ser, pelo menos, semestrais e “ao mais alto nível”.

“Foi acertado nesta reunião que temos de retomar as reuniões entre os dois governos ao mais alto nível. Devem ser realizadas semestralmente, com a presença do senhor primeiro-ministro, com a minha presença e com os responsáveis sectoriais das áreas, onde neste momento existem problemas que têm de ser resolvidos e que estão pendentes entre a República e a região”, disse Miguel Albuquerque, no final do encontro, aos jornalistas.

A primeira destas reuniões poderá já acontecer nessa visita oficial, ainda sem data marcada e, nela, o novo líder da Madeira garante que vai abordar várias pastas: “Temos um conjunto de temas sectoriais, com os ministros e responsáveis regionais das áreas, que serão abordados”, afirmou, admitindo que se poderá chamar a estas reuniões “cimeiras”. “Mas uma cimeira com consequências objectivas e com resoluções concretas”, garantiu.

Albuquerque nada adiantou sobre alguns dos temas quentes da campanha eleitoral, como a questão da dívida da Madeira – apesar de esta ter sido abordada no encontro com Passos - ou dos transportes e do preço dos voos. Mas está com um “sentimento de grande optimismo e com a noção” de que “todas estas questões” vão ser resolvidas, desde que haja “diálogo entre os dois governos”.

“Pontes de diálogo que têm de ser mantidas e reforçadas de forma regular e constante”, disse, insistindo num ponto que já tinha abordado no seu discurso de tomada de posse, na segunda-feira. O novo presidente da região está empenhado em melhorar “as relações” com a República e em estabelecer um “diálogo permanente e profícuo para benefício da região [autónoma da Madeira] e do país”.

Miguel Albuquerque assegurou ainda que questões como as da dívida ou dos transportes “já estão neste momento a ser desenvolvidas no plano sectorial” e que serão “objecto de uma abordagem mais substantiva” nessa primeira reunião que será “em breve”.

Durante a campanha eleitoral, uma das bandeiras foi a questão dos transportes. O social-democrata disse que não haveria mais estudantes madeirenses impedidos de passar o Natal na região por causa do preço das viagens. Mantém que assumiu esse compromisso e que a questão será resolvida no seu mandato: “É um dos dossiers que neste momento vai ser abordado”, disse, frisando ser mesmo “uma prioridade”.

Na quinta-feira de manhã, Miguel Albuquerque será recebido pelo Presidente da República, Cavaco Silva.