Porque não dançar ao som dos CRU?

É uma das nossas funções falarmos nesta galeria dos desafios que este género audiovisual enfrenta no paradigma comunicativo que é a Internet. Mas se aqui nos referimos à vertente performativa da atuação musical nos videoclipes, o mesmo diríamos da vertente performativa coreografada. E se dos adicionados pelas pessoas na nossa plataforma temos o contraponto do de Isaura, esta primeira apresentação da banda portuense CRU é até perfeita para o exemplificar. Porque o realizador Ricardo Teixeira sentiu necessidade de emprestar à refinada soul do tema “Tens Mesmo De Querer” uma frescura visual de cores e texturas mas também uma vontade espontânea de dançar ao seu ritmo. E porque não fazê-lo sem um bailarino profissional, mas de forma descontraída para transmitir e despertar no espetador (aquele que hoje difunde os conteúdos pelas redes sociais) o lado natural do seu groove? Ora aí está! Além da pose e do rosto do ator Paulo Calatré surpreenderem, a sua dança descomplexada, com uma boa realização e montagem (sem uso do Chroma), fazem deste videoclipe uma peça bem cativante. Apostamos que despertará também curiosidade sobre o que a banda irá editar este ano.

 

Texto escrito segundo o novo Acordo Ortográfico, a pedido do autor

Sugerir correcção