Um Noiserv, vezes dois, vezes cinco, mais um, quantos são?

Temo-lo feito por diversas vezes aqui, aqui e, entre outras, aqui também, para melhor entendimento do videoclipe, enquanto género audiovisual no atual ecossistema comunicativo da internet. E particularmente, sobre uma vertente genética do género, os videoclipes performativos. Estes tenderão a ser hoje mais difundidos, ou seja, partilhados, quanto mais fugirem do convencionalismo da mera atuação dos músicos, ainda que com excelente imagem e boa montagem. No fundo, mais serão, quanto mais surpreenderem. E quem os cria, terá de imaginar uma desconstrução dos elementos visuais habituais. Este último vídeo (uma delícia de puerícia, o nome comprido) do álbum “A.V.O.”, não apresentando um grau elevado de novidade ou criatividade na técnica, usa-a com um certo valor de engenhosidade que é apelativo aos “novos” espectadores online. A partir de uma ideia do músico, os seus autores, o prometedor coletivo We Are Plastic Too, conseguiram talvez a melhor representação visual da singularidade criativa e performativa da música de Noiserv.

Sugerir correcção