Finanças pedem à IGF inquérito sobre alegada lista de "contribuintes VIP"

Foto
Paulo Núncio, secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, nega a existência da lista. O sindicato garante que existe e que há provas Daniel Rocha

O Ministério das Finanças solicitou nesta segunda-feira à Inspecção-Geral de Finanças (IGF) a abertura de um inquérito sobre a alegada existência na Autoridade Tributária e Aduaneira (AT) de uma lista de contribuintes VIP.

"Este inquérito, a realizar pela IGF, enquanto entidade externa da AT, destina-se a realizar o apuramento de todos os factos relativos a este assunto", diz uma nota de imprensa emitida pelo Ministério das Finanças.

"Tendo em conta notícias vindas recentemente a público, o Ministério das Finanças comunica que solicitou hoje à Inspecção-Geral de Finanças (IGF) a abertura de um inquérito sobre a alegada existência de uma lista de contribuintes na Autoridade Tributária e Aduaneira (AT), cujo acesso seria alegadamente restrito", refere a nota de imprensa.

A revista Visão divulgou na sua última edição que o secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, Paulo Núncio, teria entregue, em Outubro passado, uma lista de contribuintes VIP, com contribuintes mediáticos, da área política, financeira e económica, a cujo cadastro terá sido aplicado um filtro que permite detectar quem lhe acede.

Num comunicado enviado de imediato às redacções, o Ministério das Finanças afirmou que o secretário de Estado dos Assuntos Fiscais desmentiu a revista e que “irá processar judicialmente a Visão devido à falsidade da notícia”.

Mas, ainda na quinta-feira, o presidente do Sindicato dos Trabalhadores dos Impostos (STI) confirmou à agência Lusa que existe uma lista de contribuintes VIP no Fisco e que existem provas da sua existência.

Sugerir correcção