Preços das telecomunicações sobem em Portugal, mas descem na UE

Desde Março de 2011 que o custo cresce mais do que nos restantes países do bloco europeu, diz um relatório da Anacom.

Portugal foi o 6-º país com aumentos mais elevados
Foto
Portugal foi o 6.º país com aumentos mais elevados na UE José Fernandes/Arquivo

O ano de 2014 foi de aumento no preço das telecomunicações. A subida foi maior do que a inflação e contrasta com a descida observada na União Europeia.

A conclusão é da análise mensal feita pela Autoridade Nacional de Comunicações (ANACOM), que refere que, em Novembro, o aumento médio anual deste tipo de serviços em Portugal era de 0,64%. Por outro lado, a variação do Índice de Preços no Consumidor (a inflação) ficou em terreno negativo (-0,23%) e a subida média registada nas telecomunicações entre 2009 e 2013 foi de 0,6%. 

“Em termos médios anuais, em Novembro de 2014, o aumento dos preços verificado em Portugal foi 2,76 pontos percentuais superior à média [negativa] da UE, sendo Portugal o 6.º país com os aumentos de preços mais elevados”, observa a ANACOM. "Desde Março de 2011 que os preços das telecomunicações crescem mais em Portugal do que na UE", acrescenta o regulador. O relatório indica também que desde Janeiro deste ano que a subida do preço das telecomunicações se tem afastado da evolução da inflação.

“Nos últimos anos, os preços das telecomunicações têm aumentado em termos nominais e reais no início de cada ano, em resultado dos ‘ajustamentos de preços’ promovidos pelos prestadores”, observa o relatório da Anacom. Ao PÚBLICO, a NOS já antecipou um aumento médio de 3% nos preços a partir de Janeiro, ao passo que a Meo (da PT) fará uma subida em torno dos 2,5% (a Vodafone não quis revelar valores).

Os dados foram compilados pela Anacom a partir do Instituto Nacional de Estatística (INE) e do Eurostat (o gabinete estatístico da UE) e ainda não têm informação relativa a Dezembro. Os preços incluem os serviços de voz, Internet e de televisão por assinatura.
 

Sugerir correcção