Câmara do Porto mexe no trânsito na zona da Foz

Foto

A Câmara do Porto pretende ordenar a forma como se circula e estaciona no grosso dos arruamentos da Foz e vai pôr em prática, a partir de Fevereiro, alterações nas posturas de trânsito, que implicam, nos eixos mais movimentados, a passagem de um para dois sentidos.

Segundo a vereadora da Mobilidade, Cristina Pimentel, esta é uma forma de reduzir a velocidade de circulação e diminuir a sinistralidade numa área da cidade com vários pontos negros identificados. “Por aqui acontece um acidente de três em três dias. Não podemos tolerar isso”, assinalou o presidente da câmara, Rui Moreira, na apresentação.
O executivo deu a cara pelas mudanças, algumas delas criticadas por cidadãos presentes na sala. E Cristina Pimentel mostrou exemplos da desorganização actual daquela parte da cidade, onde há ruas sem espaço aceitável para passeios, paragens de autocarros com fraca acessibilidade e estacionamento sem regras.

No meio da discussão, e quando alguém questionou o impacto das medidas no acesso a um colégio, Rui Moreira insurgiu-se contra o caos provocado em várias artérias em redor da Avenida da Boavista pelo movimento de carros nos momentos de entrega e recolha de crianças que frequentam escolas privadas. O autarca admitiu que o município está a estudar a criação de um serviço de transporte escolar, mas não vai transigir com o risco que este caos provoca. “Nos países civilizados, as actividades económicas têm condições físicas, ou humanas, para resolverem, por si, estas situações”, alertou.