Bill Clinton criou a data e agora em todo o mundo há pais que acendem velas pelos filhos que partiram

Missas em Lisboa e Porto, neste domingo, assinalam Dia Internacional em Memória dos Filhos que Partiram.

Em comunicado, a Compassionate Friends diz que em nenhuma outra data tantas velas iluminam o globo ao mesmo tempo
Foto
Em comunicado, a Compassionate Friends diz que em nenhuma outra data tantas velas iluminam o globo ao mesmo tempo AFP

Em 1997, nos Estados Unidos, um grupo de pais em luto combinaram acender uma vela, todos à mesma hora, numa homenagem aos filhos que já não tinham consigo. Desde então, ano após ano, o movimento foi crescendo, com a ajuda da Internet. Em Portugal, o dia é conhecido por Dia Internacional em Memória dos Filhos que Partiram. Celebra-se no segundo domingo de cada mês. Neste domingo, há missas para assinalar a data em Lisboa (na Igreja de Santo António dos Capuchos, às 17h00) e no Porto (na Igreja Nosso Senhor do Bonfim, às 11h00).

Suzete Ferreira, que lidera um grupo de entreajuda de pais em luto no Porto, diz, pela experiência que tem de outros anos, que o número de pessoas que aparecem é sempre imprevisível. O evento passa de boca em boca. Em Lisboa, há, antes da missa, um almoço de confraternização promovido pela associação de apoio a pais em luto, Laços Eternos.

O Worldwide Candle Lighting começou por ser uma iniciativa dos Compassionate Friends, uma organização não lucrativa, de apoio a pais em luto, que nasceu há mais de 40 anos em Inglaterra e que é especialmente forte nos Estados Unidos — onde está presente em todos os estados e junta, mensalmente, nas suas reuniões de apoio, 16 mil pais.

Em Dezembro de 1998, Bill Clinton assinou uma proclamação oficial onde explicava: “Não há nada mais devastador para uma família do que a morte de um filho. Todos os anos, milhares de famílias americanas enfrentam esta tragédia.” O presidente apelava à comunidade para que demonstrasse a sua solidariedade a estas famílias. E proclamava o dia 13 de Dezembro de 1998 o National Children’s Memorial Day: “Apelo aos americanos para que assinalem este dia com iniciativas apropriadas em memória das crianças, adolescentes e jovens adultos que morreram.”

De então para cá, todos os anos, a Compassionate Friends (que no seu site diz estar presente em 30 países) e outras organizações fazem campanha para promover eventos mais e menos formais — pedem às famílias que acendam uma vela pelas 19h00, em memória dos que partiram. Ou que se juntem para promover celebrações colectivas. A data escolhida é sempre o segundo domingo de Dezembro.

Em comunicado, a Compassionate Friends diz que em nenhuma outra data tantas velas iluminam o globo ao mesmo tempo, numa onda que corre o planeta ao sabor dos fusos horários. No Facebook, a organização do evento no Porto, de que faz parte Suzete Ferreira, apelas a que entre as 19h e as 20h cada família que tenha visto um filho partir se junte à onda e acenda uma vela.