Kim Jong-un, na Coreia do Norte há só um e mais nenhum

País proíbe outras pessoas de terem o mesmo nome do líder.

Foto
Kim Jong-un Reuters

Quem na Coreia do Norte se chamar Kim Jong-un vai ter de mudar nome. Todos menos o Presidente, claro. A ordem foi dada pelo Governo norte-coreano, segundo uma notícia desta quarta-feira da televisão estatal KBS.

A Coreia do Norte já tinha imposto proibições similares no caso de Kim Jong-il, pai do actual líder, e Kim Il-sung, avô do Presidente, como parte da propaganda e do culto de personalidade dos líderes norte-coreanos.

O nome Kim Jong-un é proibido para os recém-nascidos e quem já o utiliza terá de o deixar de fazer, mudando até os certificados de nascimento e todos os outros documentos, adianta a KBS, citando uma directiva norte-coreana.
 
Kim Jong-il terá dado a ordem em 2011, quando seu filho era o provável herdeiro, acrescentou a KBS, sem explicar por que só surgiu publicamente a notícia. O pai de Kim Jong-un morreu em Dezembro desse ano e o filho assumiu a liderança do país.

O Ministério da Reunificação da Coreia do Sul, que trata das ligações ao Norte, não confirmou a notícia, mas qualificou-a como plausível. “A proibição é altamente possível, visto que a Coreia do Norte adoptou a mesma política na era de Kim Jong-il e Kim Il-sung”, disse à Reuters uma fonte do ministério.

Não se sabe quantas pessoas têm o nome Kim Jong-un na Coreia do Norte, mas Kim é um apelido muito comum e Jong-un é igualmente frequente entre os nomes próprios.

Sugerir correcção