Auto-estrada que brilha no escuro já funciona. Agora seguem-se as ciclovias

Projecto de artista holandês pode vir a ser utilizado em mais países. Daan Roosegaarde garante mais segurança e poupança.

Daan Roosegaarde tem um currículo impressionante. A sua assinatura surge em projectos onde a arte é aplicada a situações práticas do quotidiano.

No projecto Dune, transformou a paisagem junto ao rio Maas, em Roterdão, através de um sistema de iluminação com LEDs, com sensores e sons incorporados, que se alteram com o movimento de quem passa. Em Intimacy, um projecto de moda high-tech, e-foils opacos com o aspecto de um tecido tornam-se transparentes consoante o batimento cardíaco de quem usa a roupa para voltarem a ser opacos de novo.  

Este ano, o projecto Smart Highway ganhou notoriedade e foi concretizado. Seis linhas verdes fluorescentes, três em cada lado da auto-estrada N329 em Oss, Holanda, destacam-se na escuridão e iluminam o caminho para os condutores. As marcas rodoviárias que delimitam a via são feitas com um pó especial luminescente misturado com a tinta usada nas estradas.

A mistura “alimenta-se” da luz do Sol e, ao estar “carregada”, permanece iluminada à noite, durante mais de dez horas. O objectivo é “inovar a experiência de condução”, melhorar a segurança rodoviária e tornar a iluminação das vias mais económica, como explicou Roosegaarde.

A equipa de Roosegaarde, que tem colaborações frequentes com a empresa de infra-estruturas Heijmans, quer apostar agora nas ciclovias. A primeira a ser iluminada com a mesma tecnologia que a N329 deverá estar a funcionar no final do ano em Nuenen, sul da Holanda, sob o nome Van Gogh-Roosegaarde Light Emitting Bicycle Path, qualquer coisa como caminho para bicicletas que emite luz Van Gogh-Roosegaarde.

À BBC, o criador holandês explica que se inspirou na obra Noite Estrelada, de Van Gogh, para criar a iluminação da ciclovia. “A três linhas [usadas na auto-estrada] fundem-se numa só e parece que nos guia. Com nevoeiro, consegue ver-se mais que com a iluminação habitual”, garante.

Roosegaarde está actualmente em conversações com alguns municípios britânicos para que estas ciclovias sejam construídas no país. Entretanto, o holandês e a sua equipa pretendem implementar perto de 20 ideias nos próximos cinco anos, sem revelarem pormenores.

Neste momento, Roosegaarde está em Pequim, onde está a construir um parque livre de nevoeiro através de um enorme sistema de sucção idêntico ao de um aspirador e que pretende que seja o maior do mundo.