Fotógrafa de 41 anos fotografou e entrevistou 100 mulheres Laura Dodworth
Foto
Fotógrafa de 41 anos fotografou e entrevistou 100 mulheres Laura Dodworth

Bare Reality: fotografar seios reais para falar sobre mulheres

Laura Dodsworth entrevistou e fotografou 100 mulheres de várias idades e experiências de vida e vai transformar o projecto num livro, com a ajuda de "crowdfunding". Falar sobre seios é muito mais do que falar de uma parte do corpo feminino

Não é o que é fotografado que torna o projecto de Laura Dodsworth invulgar. Seja em jornais, revistas ou televisão, seja em publicidade, na moda ou online — o bombardeamento de imagens de seios é constante na nossa sociedade. O que torna o projecto de Laura Dodsworth raro é a forma como os seios aparecem: sem retoques, irregulares, às vezes assimétricos, nem sempre bonitos. “Bare Reality: 100 women and their breasts” explora a forma como as mulheres se sentem em relação ao seu peito — e depois de reunir entrevistas e imagens de uma centena de mulheres, o projecto está a angariar fundos no Kickstarter para se transformar num livro que vai ajudar a associação Breast Cancer UK.

A fotógrafa britânica sempre se sentiu fascinada pela “dicotomia entre a vida pessoal das mulheres e a forma como elas são retratadas nos media, entre a forma como nos sentimos a respeito dos seios na nossa esfera privada e a forma como eles são apresentados publicamente”. As imagens que vemos nos meios de comunicação são frequentemente alteradas: cirurgicamente, através da luminosidade no estúdio fotográfico ou com recurso ao Photoshop. Essa imagem “não só cria uma comparação nada lisonjeira, como apresenta um ideal inalcançável”. “Se mesmo uma modelo não pode viver neste ideal de seios perfeitos, quem poderá?”, questionou Laura Dodsworth numa entrevista concedida ao P3 por email.

Foi para desconstruir esta imagem de perfeição e humanizar a questão que o Bare Reality surgiu. Durante dois anos, Dodsworth entrevistou e fotografou 100 mulheres entre os 19 e os 101 anos, de várias etnias e sexualidades, com diferentes alturas e pesos, com diversas perspectivas e experiências: “Monja budista, dançarina burlesca, mulheres que dedicam a vida à carreira ou que, pelo contrário, são mães a tempo inteiro, uma mulher ordenada da Igreja de Inglaterra, enfermeiras, ‘strippers’, assistentes sociais, sobreviventes de cancro da mama, uma promotora de um clube nocturno cujo pseudónimo era ‘Captain Hello Titties’ e muito mais”, conta.

PÚBLICO -
Foto
Estou orgulhosa por ter decidido fazer uma tatuagem. Ela ajudou-me a passar por isto. Laura Dodworth

Numa altura em que muito se tem falado sobre os seios femininos — através de projectos como o Free The Nipple e No More Page 3, do crescimento de "selfies" de mulheres a amamentar nas redes sociais ou de famosas a mostrarem o peito —, Laura Dodsworth acredita que a altura para lançar o projecto "não podia ser melhor para ouvir como é que mulheres reais se sentem em relação aos seus seios e mostrar como é que eles são realmente". 

Enquanto entrevistava as voluntárias que decidiram participar neste projecto e começava por lhes perguntar como se sentiam em relação aos seus seios, Dodsworth foi reparando que muitas se emocionavam. Afinal, falar daquela parte do corpo não era apenas falar sobre aquela parte do corpo — era mergulhar num mundo com muitos sub-temas. “Quando falamos de seios estamos a falar de aspectos íntimos da nossa vida como mulheres, como o crescer, a sexualidade, a maternidade, a amamentação, as relações, a imagem corporal, a saúde, o cancro e o envelhecimento”, explica a fotógrafa de 41 anos.

A fotógrafa fotografada

O anonimato foi salvaguardado a todas as participantes. Bem, a quase todas: a própria Laura Dodsworth decidiu mostrar-se pela causa, apesar de achar a exposição difícil. “Eu queria falar sobre a razão pela qual tinha iniciado este projecto e a forma como ele me mudou e transformou a relação que tenho com os meus seios. E não podia fazê-lo sem perder o anonimato”, explicou ao P3. “Bare Reality mudou-me, mudou a forma como penso e me sinto em relação às mulheres. Transformou a minha relação com os meus seios. Muito simples, passei a gostar mais de mim como mulher e a gostar mais do meu peito.”

Online desde o dia 6 de Setembro, a campanha ultrapassou rapidamente a meta pré-estabelecida de 10900 libras (cerca de 13200 euros), tendo já angariado mais de 16 mil libras (19300 euros). A partir das 25 libras (30 euros), tem-se logo direito a um livro do projecto, que conta (através de imagens e entrevistas) a história de 100 mulheres. Durante as cinco semanas em que decorre o “crowdfunding”, até ao dia 11 de Outubro, Laura Dodsworth vai revelar cinco das histórias mais marcantes que recolheu nos últimos dois anos.

A primeira, já divulgada, é de uma mulher de 54 anos, mãe de três filhos, que foi diagnosticada com cancro da mama há dez anos e passou por uma mastectomia. Num depoimento emocionante, a mulher fala dos momentos de dor, dos filhos, da relação com o companheiro, da morte do companheiro com um tumor cerebral. “Perder uma mama é uma coisa arrebatadora porque ela é uma grande parte daquilo que nos faz sentir uma mulher”, diz na entrevista.

Por cada livro vendido, a Bare Reality vai doar uma libra (1,20 euros) à Breast Cancer UK, uma instituição que trabalha na prevenção do cancro da mama. “Esperamos que este trabalho contribua para uma mudança social, incentivando mais mulheres a falarem abertamente sobre os seus seios e inspirando-as a saber mais sobre o cancro da mama e factores de risco associados à doença”, escreve a associação na página do projecto de Laura Dodsworth.