TAP garante normalidade da operação e critica pressão mediática

Um voo da companhia que deveria fazer a ligação entre Milão e o Porto foi cancelado devido a uma avaria. Passageiros regressam nesta terça-feira.

TAP reconhece as dificuldades e garante que está a tentar resolver a situação
Foto
Os passageiros da TAP vão regressar via Lisboa e Porto Daniel Rocha

A TAP garantiu nesta terça-feira que o nível de problemas técnicos da companhia se mantém normal e criticou a pressão mediática de que tem sido alvo. Um voo da companhia que deveria fazer a ligação entre Milão e o Porto foi cancelado devido a uma avaria, tratando-se do quarto problema técnico nos últimos dias.

"O que se passa é um excesso de atenção mediática aos problemas que têm acontecido na TAP", afirmou André Soares, porta-voz da empresa, sublinhando que a situação relativa aos problemas técnicos é a normal. "Quanto a isso nada de excepcional se passa, excepto a atenção que a comunicação social está a dedicar a estes episódios", disse.

Nos últimos cinco dias, a TAP registou pelo menos quatro incidentes com aviões devido a problemas técnicos.
Na sexta-feira, um problema no sistema hidráulico de um avião obrigou um voo de Lisboa para Angola a regressar ao aeroporto da Portela uma hora depois de ter descolado, e, dois dias depois, um outro voo que partiu do Brasil com destino a Lisboa teve de aterrar por precaução no Sal, em Cabo Verde, devido a um sinal de aviso do sistema indicador de fumos na cabina.

Nesta segunda-feira, o terceiro incidente levou a TAP a cancelar uma ligação Milão/Porto e hoje o voo Porto/Bruxelas foi atrasado por causa de um problema no radar de identificação do avião.

"Aviões são máquinas e as máquinas, apesar de terem uma manutenção altamente rigorosa e cumprindo todas as regras internacionais e nacionais e indo além dessas regras e também daquelas que são impostas pelo fabricante, têm avarias", explicou o porta-voz da companhia aérea.

"Isto passa-se com todas as companhias aéreas, em todo o mundo, e existem centenas de casos destes diariamente com todas as companhias. A TAP não é obviamente excepção", sublinhou. Garantindo que a TAP tem "uma cultura de segurança absolutamente enraizada" e que a empresa "continua no ranking das dez companhias mais seguras do mundo", André Soares considerou que agir por precaução é uma prova dessa cultura de segurança.

"O episódio que fez com que um avião da TAP aterrasse no Sal [Cabo Verde] por precaução foi exactamente isso – precaução – e isto não significa que a TAP é menos segura. Pelo contrário", defendeu.

Passageiros de regresso
Os 96 passageiros que deveriam seguido no voo da TAP que faria a ligação entre Milão e o Porto às 21h locais de segunda-feira deverão regressar nesta terça-feira a Portugal, segundo o porta-voz da transportadora aérea.

O avião, da frota da Portugália, saiu do Porto com destino ao aeroporto de Malpensa, Milão, e deveria regressar a Portugal pelas 21h locais (20h em Lisboa) de segunda-feira. No entanto, à hora do embarque os passageiros foram informados de que “o voo estava atrasado devido a problemas técnicos”, segundo referiu uma passageira contactada pela agência Lusa. Cerca de hora e meia depois, os passageiros souberam que o voo tinha sido cancelado.

À Lusa, o porta-voz da TAP, André Serpa Soares, disse que se tratou de uma “avaria detectada no voo” do Porto para Milão, que obrigou o avião, da frota da Portugália, a regressar ao Porto. André Serpa Soares garantiu que durante o dia de terça-feira “haverá certamente lugares” para assegurar o regresso de todos os passageiros que ficaram em Milão.

De acordo com a informação de voos disponível no site da ANA (gestora dos aeroportos nacionais), há nesta terça-feira duas ligações da TAP entre Malpensa e o Porto. O primeiro tem hora prevista de chegada às 15h10 e o último às 22h45.

Segundo o mesmo responsável, a TAP alojou os passageiros num hotel em Malpensa e responsabiliza-se pelo seu regresso a Portugal, a Lisboa e ao Porto, sendo que “parte significativa” deveria regressar às primeiras horas da manhã com destino a Lisboa. Para a capital, o primeiro voo tem hora de chegada prevista para as 13h05.

Entre os passageiros encontram-se empresários e jornalistas portugueses que acompanharam a maior feira de calçado mundial em Milão, a convite da Associação Portuguesa dos Industriais de Calçado (APICCAPS).

O incidente acabou por ter impacto noutra ligação aérea da companhia, entre Lisboa e Barcelona. Ainda na sexta-feira, o voo saiu com duas horas de atraso, porque o piloto que estava previsto realizar o voo teve de ser substituído, uma vez que “já tinha feito outro voo e estava próximo do limite de horas permitido”, esclareceu então a TAP.