Norte-americana Wal-Mart lidera o pódio das 500 maiores empresas do mundo

Três empresas chineses nos dez primeiros lugares do ranking.

Wall-Mart ultrapassa Royal Dutch Shell, que já se encontrava na liderança há dois anos consecutivos.
Foto
Wal-Mart roubou o primeiro lugar do ranking à Shell Eric Thayer/ Reuters

Depois de nos últimos anos se ter vivido uma crise económica à escala global, a revista Fortune publicou nesta segunda-feira uma compilação das 500 empresas mais importantes do mundo em termos de volume de negócios, com a empresa de distribuição norte-americana Wal-Mart a liderar o pódio.

De acordo com a Fortune, o volume de negócio das empresas eleitas atingiu mais de 31,1 milhões de milhões de dólares (cerca de 23 milhões de milhões de euros) no ano passado, o que perfaz um aumento de 2,5% em relação a 2012. Também o lucro destas empresas beneficiou de uma subida de 27% em relação a 2012, para cerca de dois milhões de milhões de dólares (aproximadamente 1,5 milhões de milhões de euros).

Com cerca de 476,3 mil milhões de dólares (aproximadamente 350,1 mil milhões de euros) em receitas até 31 de Janeiro deste ano, a Wal-Mart, empresa de distribuição norte-americana presente em 26 países e com mais de 100 milhões de clientes por semana, lidera o ranking.

O segundo lugar cabe à petrolífera Royal Dutch Shell. A empresa que tem como presidente executivo Ben van Beurden desceu este ano no pódio devido a uma queda de 4,6% nas vendas, visto que ocupava a primeira posição há dois anos consecutivos. De acordo com dados da Fortune, o grupo anglo-holandês totalizou quase 459,6 mil milhões de dólares (aproximadamente 337,8 mil milhões de euros) em receitas em 2013.

No terceiro lugar da lista surge uma petrolífera chinesa, a Sinopec Group, que beneficiou de um crescimento de 6,8% nas vendas em relação a 2012. Segundo a revista norte-americana, a empresa produz cerca de 50 mil barris por dia e tem o objectivo atingir 135 mil.

Há, aliás, três empresas da China nos dez primeiros lugares do ranking. Além da Sinopec, a quarta posição é ocupada pela China National Petroleum e, no sétimo lugar, surge a State Grid, que detém 25% da portuguesa REN. A Fortune refere que, face a 2013, entraram seis novas empresas chinesas na lista das 500 maiores do mundo. As 95 que agora constam geraram receitas de 5,8 milhões de milhões de dólares (perto de 4,3 milhões de milhões de euros) em 2013.

A China Petrochemical Corporation e a francesa Total destacam-se por terem abandonado a lista dos dez primeiros lugares que ocupavam no ano passado em quarta e décima posição, respectivamente. Por outro lado, a chinesa Sinopec Group, a Toyota e a anglo-suiça Glencore entraram este ano para o pódio das dez maiores empresas na compilação deste ano, em terceiro, nono e décimo lugar, respectivamente.

Ao longo do ranking encontram-se nomes como a Toyota Motor (9º lugar), que viu os seus lucros subir 57% no ano fiscal de 2014, a Samsung (13º) ou a Apple (15º). A maior produtora de smartphones chegou quase a atingir os 209 mil milhões de dólares em receitas (cerca de 153,6 mil milhões de euros) com uma subida de 17% em relação a 2013. Já a produtora do Iphone atingiu praticamente 171 mil milhões de dólares ( aproximadamente 125,6 mil milhões de euros) em receitas em 2013. 

Na compilação feita pela Fortune, há ainda lugar a nomes como o da Axa (16º), da Phillips 66 (19º), General Motors (21º),  BNP Paribas (40ª), Nestlé (72º).  

Notícia corrigida às 20h55: Foi rectificado o número semanal de clientes da Wal-Mart.