Björk, o "objecto encontrado" pelos Death Grips

Reuters/Fredrik Sandberg/Scanpix Sweden
Foto
Reuters/Fredrik Sandberg/Scanpix Sweden

A voz da cantora islandesa comparece em todas as oito faixas de Niggas on the Moon

Os Death Grips colaboraram com Björk no seu último álbum, a voz da islandesa, samplada e manipulada, está espalhada pelas oito faixas — devidamente assinaladas, a ver se incendeiam qualquer centelha de polémica, têm sido Have a sad cum e Fuck me out. Björk confirmou no seu Facebook: “Estou feliz por anunciar que a minha voz foi parar ao novo disco dos Death Grips! Adoro os Death Grips e estou entusiasmaada por ser o seu ‘objecto encontrado’”. Sente-se sortuda por ter andado com o trio de noise-rap de Sacramento a partilhar amores musicais — e a vê-los crescer: o vocalista Stefan ‘MC Ride’ Burnett, o teclista Andy ‘Flatlander’ Morin e Zach Hill, ex-Hella, banda de rock experimental. Niggas on the Moon é a primeira metade, já disponível para download, de um duplo álbum genericamente intitulado The Powers That B — que assim sucede a Government Plates, de 2013. A segunda parte, Jenny Death, vai ser lançada no Outono. Os Death Grips existem desde 2010, e três álbuns, um EP e uma mixtape (Exmilitary) depois, encontraram uma islandesa.