E as 25 mulheres mais poderosas do mundo são…

O pódio pertence à chanceler alemã, Angela Merkel.

Angela Merkel
Foto
A chanceler alemã é considerada a mulher mais poderosa do mundo há quatro anos consecutivos. John MacDougall/AFP

A revista americana Forbes anunciou, nesta quarta-feira, a compilação das 25 mulheres mais poderosas do mundo. Entre figuras ligadas à política, redes sociais, apresentadoras, presidentes executivas e cantoras, a liderança cabe à chanceler alemã Angela Merkel.

Poder é a palavra de ordem, seja em que categoria for. No entanto, a liderança do ranking centra-se na política, com Angela Merkel a presidir o pódio. O primeiro lugar como a primeira mulher mais poderosa do mundo já se tornou um hábito para a chanceler alemã, que desde 2011 ocupa esta posição.

Janett Yellen ocupa o segundo lugar da lista. A presidente da Reserva Federal dos Estados Unidos constituiu-se como a primeira mulher a liderar um dos bancos centrais com mais influentes do mundo. De seguida surge Melinda Gates, uma filantrópica americana, casada com Bill Gates.

O quarto lugar vai para a América Latina, mais concretamente para Dilma Rouseff, presidente do Brasil, a sétima maior economia a nível mundial, seguida de Christine Lagarde, actual presidente do Fundo Monetário Internacional. Também a primeira-dama norte-americana, Michele Obama, surge no ranking, em oitavo lugar.

Saindo um pouco do mundo da política e passando agora para o entretenimento, há na lista nomes conhecidos do grande público, de que são exemplo a apresentadora Oprah Winfrey (14ª) e a cantora Beyoncé Knowles (17º).

Na eleição feita pela revista de negócios americana, há ainda lugar a nomes como o de Hillary Clinton, ex-secretária de Estado dos EUA (6º); Mary Barra, presidente executiva da General Motors (7ª); Sheryl Sandberg, administradora de operações do Facebook (9º);  Virginia Rometty, presidente executiva da IBM (10º); Geun-hye Park, presidente da Coreia do Sul (11º), entre muitos outros.  

De acordo com a Forbes, cerca de 5% das empresas têm mulheres no cargo de presidentes executivas e pelo menos catorze ocupam actualmente o cargo de chefes de Estado.